Altominho.tv

Alto Minho satisfeito com obras contempladas no Plano de Investimentos

A Comunidade Intermunicipal (CIM) do Alto Minho saudou, esta sexta-feira, o Programa Nacional de Investimentos (PNI) 2030 apresentado pelo Governo por “identificar os maiores estrangulamentos” da região, em especial as vias de acesso à Galiza.

Em comunicado, a CIM do Alto Minho, que agrega os 10 concelhos do distrito de Viana do Castelo, apontou a ligação rodoviária da Autoestrada 28 (A28) à A3 [entre Braga e Valença], com interação com o município de Paredes de Coura”.

“Esta via vem consolidar as ligações no interior do Alto Minho e potenciar a atratividade económica desta região que, nos últimos anos, tem tido um forte desempenho na captação de novos investimentos e empresas de capital estrangeiro”, sustenta a nota.

A autoestrada A28 liga o Porto a Caminha, passando por Viana do Castelo.

Na quinta-feira, o primeiro-ministro afirmou que o Programa Nacional de Investimentos 2030 tem as fontes de financiamento bem identificadas, envolvendo 43 mil milhões de euros, dos quais 12 mil milhões de euros saídos dos orçamentos do Estado.

Estes dados foram avançados por António Costa na sessão de apresentação do Programa Nacional de Investimentos 2030, no Laboratório Nacional de Engenharia Civil (LNEC), em Lisboa.

A CIM do Alto Minho, com sede em Ponte de Lima, “regista com apreço a consolidação da modernização e eletrificação da Linha do Minho já em curso para melhorar a ligação entre as cidades do Porto, Viana do Castelo, e Vigo, na Galiza”.

A estrutura, presidida pelo presidente da Câmara de Viana do Castelo, José Maria Costa, “regista também com apreço as ligações as áreas empresariais” do Alto Minho, nomeadamente a via de acesso à área empresarial do Vale do Neiva, em Viana do Castelo, e a construção de uma nova ponte sobre o rio Lima para acesso à zona industrial de Deocriste”.

“O PIN 2030 vem valorizar e aumentar a competitividade do território do Alto Minho, criando as condições necessárias para um desenvolvimento sustentado da região transfronteiriça que, nos últimos anos, tem aumentado o seu perfil exportador, fixando novas empresas e atraindo novos investimentos industriais”.

Segundo a CIM do Alto Minho, o plano “prevê a construção de um terminal de cruzeiros no porto de Viana do Castelo, a ser construído na margem norte do rio Lima, em frente ao espaço onde está atracado o navio-museu Gil Eannes”.