Altominho.tv

União Europeia empresta 60 ME para primeiro parque eólico flutuante em Viana

O Banco Europeu de Investimento (BEI) concedeu hoje um empréstimo de 60 milhões de euros à Windplus, subsidiária da EDP, Repsol e Principle Power, para o funcionamento do primeiro parque eólico flutuante no mar, em Viana do Castelo.

Além do financiamento do banco da União Europeia, entram nesta fase, que prevê um investimento total de 125 milhões de euros, 29,9 milhões de euros do programa comunitário NER300, o “apoio direto de seis milhões de euros do Fundo de Carbono Português e o resto passará por investimento dos acionistas”, precisou o presidente executivo da EDP, António Mexia.

No início da cerimónia de assinatura do acordo de financiamento do Windfloat, Mexia notou que, no lançamento deste projeto, “muita gente acharia que o destino [do projeto] era flutuar, mas no fundo do mar”, tendo-se provado agora o contrário quando se entra na segunda fase do processo.

A primeira fase passou por verificar se a estrutura “iria sobreviver”, ao longo de cinco anos, aos mais de 15 metros de ondas da zona de Viana do Castelo. Nessa altura estavam envolvidas 210 pessoas, mais de 60 fornecedores, dois megawatts de potência instalada e um investimento de 23 milhões de euros.

Agora, o projeto por três anos, vai envolver mais de 450 pessoas qualificadas, um investimento de 125 milhões de euros e 25 megawatts de potência instalada.

As turbinas passam de dois megawatts para outras de 8,4 megawatts, que medem, desde o mar até à ponta da sua lâmina, 210 metros, ou seja, dois campos de futebol.

Mexia apresentou o WindFloat como um “projeto absolutamente pioneiro e inovador a nível mundial, no que diz respeito à energia renovável ‘offshore’ [no mar]”, já que em causa está a “tecnologia mais desenvolvida e mais competitiva da utilização do vento em mar e em sítios com profundidade, que impedem a utilização de estacas no fundo mar”.

Entre outras vantagens do projeto está o facto de “não deixar rasto”, ao serem utilizadas plataformas flutuantes.

Marcaram presença na cerimónia a ministra do Mar, Ana Paula Vitorino, e o ministro do Ambiente, João Pedro Matos Fernandes, que desde segunda-feira também assumiu a Transição Energética.

Esteve igualmente presente o novo secretário da Energia, João Galamba, empossado na quarta-feira, em substituição de Jorge Seguro Sanches, no âmbito de uma remodelação governamental.

Redes Sociais

Mais de 50.000 pessoas acompanham a Altominho.tv nas principais redes sociais. Junte-se à nossa comunidade no Facebook, Twitter, Youtube e Instagram.
Acompanhe-nos nesta viagem pelo Alto Minho!