Altominho.tv

Todos os utentes e funcionários recuperados em lar de Paredes de Coura

O lar da Misericórdia de Paredes de Coura já não regista casos de infeção entre os utentes e funcionários da instituição.

“Todas as pessoas residentes e todos os nossos colaboradores estão recuperados”, referiu o provedor, Manuel Alberto Lourenço, num comunicado publicado na página oficial da Santa Casa da Misericórdia de Paredes de Coura na rede social Facebook.

Os primeiros casos de infeção na Estrutura Residencial para Idosos surgiram a 13 de janeiro, “quando cinco utentes foram testados por apresentarem sintomatologia associada à Covid-19”. Na altura, o provedor referiu que 74 dos 80 utentes e 28 dos 44 funcionários tinham contraído a doença causada pelo novo coronavírus, no primeiro surto a afetar a instituição desde março de 2020.

Lar de Nossa Senhora da Conceição registou cinco mortes associadas à Covid-19 e apenas “seis idosos mantiveram-se sempre negativos”.

No comunicado publicado nas redes sociais, o provedor da Santa da Misericórdia de Paredes de Coura afirmou terem sido “dias difíceis com a ausência quase total dos colaboradores e de direção técnica, de enfermagem, de serviços administrativos, de cozinha, das ajudantes de ação direta, de lavandaria e de limpeza”.

“Impedidos de exercerem as suas funções, recorremos à ajuda dos nossos parceiros sociais que responderam tão pronto como rapidamente. Tivemos dias intensos, onde nos deparámos com rostos cansados pelo peso de horas seguidas de trabalho, mas sempre alegres e dispostos a darem o seu melhor, como sempre o fazem”, referiu.

Segundo o responsável, “as pessoas que residem na estrutura residencial para pessoas idosas (ERPI) foram cuidadas com o carinho e a atenção a que estão habituadas e lhes é dispensada, por todos os que têm a obrigação de cuidar delas”.

O pároco agradeceu “a dedicação e o empenho dos seus colaboradores e de todas as pessoas que estiveram sempre na linha da frente”.

“As nossas rotinas regressam e os dias revestem-se de mais ânimo e alegria. Mantemos a esperança de que em breve chegaremos mesmo onde queremos estar”, observou.