Altominho.tv

Escola de Melgaço aberta para garantir refeições e acolher filhos de trabalhadores de serviços essenciais

As atividades letivas de todos os níveis de ensino foram suspensas durante 15 dias, mas em Melgaço uma escola de acolhimento vai garantir refeições aos alunos carenciados e apoiar os filhos dos trabalhadores que prestam serviços essenciais.

“Os encarregados de educação que necessitem dos apoios terão de o solicitar à escola de acolhimento, para já centralizada no edifício sede do Agrupamento, na Escola EB 2,3/S da Vila de Melgaço. O Centro Escolar de Pomares abrirá apenas se não for possível pelos serviços, inclusive de transporte, a centralização dos alunos nas instalações da Vila”, refere o município em comunicado.

Em declarações ao jornal A Voz de Melgaço, a diretora do agrupamento de escolas adiantou que a escola vai disponibilizar o serviço de refeição aos alunos beneficiários da Ação Social Escolar, aos que estejam referenciados à Comissão de Proteção de Crianças e Jovens (CPCJ) e está ainda disponível para os que precisem de “apoios adicionais ou terapias, da Educação Especial”.

Relativamente aos alunos beneficiários da Ação Social Escolar, Paula Cerqueira disse, ao mesmo jornal, que “estes alunos podem vir almoçar à escola se não precisarem de transporte ou, mediante apoio a operacionalizar pela autarquia, fazer com que as refeições sejam confecionadas na escola e cheguem a casa do aluno”.

A Câmara de Melgaço adiantou também que já foram realizados testes à Covid-19 a todos os profissionais do 1º ciclo e da Escola EB 2,3/S do concelho, entre os quais colaboradores do município responsáveis pelo serviço de transporte de alunos e que prestam outros apoios na escola. “No total foram testados 97 colaboradores, sendo que, até ao momento, quatro testaram positivo”, especificam na nota.

“Faremos de tudo para que os alunos e toda a comunidade estejam em segurança. Queremos travar o contágio, mas precisamos da colaboração de todos”, sublinha o presidente da autarquia, Manoel Batista, citado naquele comunicado.

A autarquia garantiu ainda que, em conjunto com o agrupamento de escolas de Melgaço, está a “avaliar as melhores soluções para manter os serviços essenciais da comunidade em funcionamento”.