Altominho.tv
FREEPIK

ULSAM reabre extensão de saúde de Refoios

A Unidade Local de Saúde do Alto Minho (ULSAM) informou esta sexta-feira que a extensão de saúde de Refoios, em Ponte de Lima, foi a primeira a retomar a sua atividade, após encerramento temporário devido à Covid-19.

Em comunicado, a ULSAM adianta que, em parceria com os municípios, “tem vindo a preparar a reabertura das extensões de saúde das Unidades Funcionais dos Cuidados de Saúde Primários, com base na avaliação de condições de segurança feita por edifício, disponibilidade de recursos humanos e na evolução da pandemia de Covid-19”.

“A reabertura das extensões e polos, temporariamente encerradas, vai permitir ainda descentralizar a resposta assistencial, agora concentrada nos edifícios das sedes, repartindo o atendimento pelos vários edifícios que têm garantido sempre uma resposta de proximidade à população, tão característica do Alto Minho”, sustenta.

A extensão de saúde de Refoios, Unidade de Cuidados de Saúde Personalizados (UCSP) de Ponte de Lima, retomou a atividade assistencial na terça-feira e vai “garantir temporariamente resposta aos utentes inscritos na extensão de Fontão, com reabertura também a ser preparada, nas novas instalações“.

De acordo com a ULSAM,  as outras três extensões do Centro de Saúde de Ponte de Lima, Vitorino de Piães, São Martinho da Gandra e Moreira do Lima “estão em processo de avaliação dos espaços físicos e validação pela autoridade de saúde”.

Na nota enviada à imprensa, a ULSAM recorda que a 15 de março, no âmbito do Plano de Contingência, foi recomendado o encerramento temporário das extensões de saúde/polos das Unidades Funcionais.  Apenas a extensão de Santa Marta de Portuzelo, UCSP de Viana do Castelo, “manteve-se aberta por partilhar um edifício com outras duas unidades funcionais, o que permitiu garantir a continuidade da sua atividade com segurança”.

Com esta medida temporária pretendeu-se, segundo a ULSAM, “garantir as condições de segurança em espaço físico a utentes e profissionais e efetuar a melhor gestão de Recursos Humanos, dando cumprimento às normas e orientações da DGS e da ARS Norte”.

“Apesar deste necessário encerramento temporário, na fase crítica da pandemia de Covid-19, os Centros de Saúde da ULSAM têm garantido o atendimento dos seus utentes inscritos em polos e extensões nas instalações dos edifícios das sedes, pela equipa de saúde familiar”, refere a nota.

ULSAM é constituída por dois hospitais: o de Santa Luzia, em Viana do Castelo, e o Conde de Bertiandos, em Ponte de Lima. Integra ainda 12 centros de saúde, uma unidade de saúde pública e duas de convalescença, e serve uma população residente superior a 244 mil pessoas, contando com 2.500 profissionais, entre os quais 501 médicos e 892 enfermeiros.