EDP Vilar de Mouros apresenta agenda de concertos e anuncia nova confirmação

A organização do EDP Vilar de Mouros acaba de anunciar que os britânicos The House of Love vão atuar no festival mais antigo da Peninsula Ibérica, juntando-se assim a nomes como Killing Joke, Manic Street Preachers, Nitzer Ebb Prophets of Rage, Skunk Anansie, Gogol Bordello, The Wedding Present, Clan of Xymox e Anna Calvi, Fischer-Z e Linda Martini.

Passados mais de 20 anos, o rock alternativo dos The House of Love chega diretamente a Portugal para atuar, a 23 de agosto, no EDP Vilar de Mouros. A banda de Camberwell sobe ao palco para cantar êxitos como “Shine on” e “Christine”, responsáveis pelo seu sucesso, no final dos anos 80. Após 10 anos afastados, entre 1993 e 2003, é em 2005 que dão o grito do Ipiranga com Red Days Run Away e, anos mais tarde, em 2013, com She Paints Words, o seu mais recente álbum.

O Festival EDP Vilar de Mouros realiza-se nos dias 22, 23 e 24 de agosto e promete agitar a mítica freguesia do concelho de Caminha.

Os bilhetes estão à venda nos locais habituais e na Ticketline. O bilhete diário tem o custo de 35 euros e o passe para três dias com acesso gratuito ao campismo fica nos 70 euros.

Agenda de concertos EDP Vilar de Mouros 2019

22 AGOSTO 23 AGOSTO 24 AGOSTO
MANIC STREET PREACHERS

KILLING JOKE

ANNA CALVI

THE WEDDING PRESENT

SKUNK ANANSIE

NITZER EBB

THE HOUSE OF LOVE

CLAN OF XYMOX

PROPHETS OF RAGE

GOGOL BORDELLO

FISCHER-Z

LINDA MARTINI

 

Sobre os “The House of Love”

A banda liderada por Guy Chadwick foi uma das mais brilhantes que saiu na segunda metade dos anos 80, da excelente fornada que a editora Creation ofereceu ao mundo e que tanto marcou a paisagem indie de guitarras dos anos seguintes. O grupo de temas eternos como “Christine” ou “Shine On” apresentou-se no Coliseu dos Recreios em 1989, num concerto que ficou na memória de todos os que a ele assistiram, passando um par de anos mais tarde para um segundo concerto no nosso país, realizado em Aveiro.

As forças criativas de Chadwick e Terry Bickers desencontraram-se e o grupo separou-se em 1993 quando contava já com quatro álbuns no ativo, incluindo Babe Rainbow (1992) e Audience With the Mind (1993). Depois da separação, Chadwick ainda ensaiou timidamente uma carreira a solo, impulsionado por Robin Guthrie dos Cocteau Twins, mas acabou por mergulhar num período de depressão de que só se livrou quando se voltou a entender com Bickers e o grupo regressou ao ativo, em 2005, com a edição de Days Run Away, muito bem recebido pelo público e pela crítica em Inglaterra. A reedição expandida do seu álbum de estreia, em 2012, pela Cherry Red e o lançamento de um novo trabalho em 2013, She Paints Words in Red, cimentou-lhes a existência neste milénio.

O regresso a Portugal para esta apresentação em Vilar de Mouros é por isso mesmo causa para celebração.