Altominho.tv

Preço do transporte fluvial entre Caminha e Galiza aumenta em 2018

O preço das viagens no ‘ferryboat’ Santa Rita de Cássia, ligando no rio Minho a localidade portuguesa de Caminha e a espanhola de La Guardia, vai aumentar em 2018, anunciou hoje fonte autárquica.

A subida dos custos do combustível e o aumento das horas de navegação do Santa Rita de Cássia são as razões apontadas pela autarquia para justificar o aumento do preço da travessia a bordo da embarcação.

O ‘ferryboat’ Santa Rita de Cássia, que começou a cruzar o rio Minho para ligar as duas localidades vizinhas em 1995, “irá retomar as viagens no dia 02 janeiro já com o novo tarifário, aprovado pela Assembleia Municipal”, indicou o executivo de Caminha.

Segundo a câmara liderada pelo socialista Miguel Alves, “as tarifas praticadas nos bilhetes do ‘ferryboat’ não sofriam atualizações desde 2012, sendo que as mudanças que vão agora ser introduzidas, comparativamente com preços praticados em situações idênticas noutros pontos do país, ficam ainda aquém em termos de valores”.

“Apesar de a Câmara ter conseguido baixar a maior parte dos custos de manutenção nos últimos anos, recorrendo a serviços próprios, as despesas relacionadas com o combustível e com consumíveis em geral têm vindo a aumentar”, especificou o município.

A partir do próximo ano, “o transporte de um automóvel, até cinco lugares, custará 3,50 euros, com mais de cinco lugares, o custo será de 4,50 euros”.

Já o preço para “os passageiros será de 1,50 euros, sendo que as crianças com idades entre os quatro e os 13 anos, pagam um euro”.

Os preços são, também, atualizados para o transporte de veículos, com reboque (nove euros), com atrelado (5,50 euros), autocaravana (sete euros), camioneta até 3.500 quilos (cinco euros), camião com mais de 3.500 quilos (sete euros), táxi (três euros), bicicleta (dois euros), ciclomotor (dois euros) e motociclo (três euros)”.

Caminha é único concelho do vale do Minho que depende do transporte fluvial para garantir a ligação regular à Galiza, enquanto os restantes quatro concelhos da região dispõem de pontes internacionais.