Altominho.tv

Câmara de Caminha nega alegada “manipulação” da sua página de internet

A Câmara Municipal de Caminha emitiu hoje um comunicado onde afirma estar a ser “alvo de notícias falsas”, que “aparecem como se de um dominó se tratasse”, e nega ter existido uma “manipulação” do website da autarquia, na sequência de uma notícia avançada esta terça-feira pelo Público.

Segundo o jornal, o site da Câmara teria sido alvo de manipulação com o objetivo de fazer desaparecer parte de um documento que prova ter sido o gabinete do ex-autarca Miguel Alves a difundir um currículo falso de Ricardo Moutinho, o empresário com o qual o agora ex-secretário de Estado havia negociado o projeto do Centro de Exposições Transfronteiriço (CET).

“Consultada a empresa que criou o website da Câmara Municipal, apurámos que o texto que [o jornalista do Público] refere foi criado em 2020/09/26 (10:12), foi posteriormente alterado, designadamente o posicionamento na página. Posteriormente à data de 2021/05/10 (14:47) não sofreu mais qualquer alteração. Como se constata e na gestão do senhor Presidente da Câmara Municipal, Rui Lages, não foi realizada qualquer alteração”, pode ler-se no comunicado da autarquia.

“As conclusões vertidas no jornal Público, que estão a ser replicadas, são abusivas, traduzem conclusões falsas e adensam um clima de suspeição insuportável e artificial, que a Câmara Municipal de Caminha não pode tolerar”, frisa o município caminhense, acrescentando: “Interações e alterações nos conteúdos não são “manipulações”, mas, reiteramos: não foi feita qualquer alteração no texto em causa, seja do que for, há mais de um ano, muito menos após 30 de setembro de 2022, como o senhor jornalista sempre repetiu nas questões que colocou a esta Câmara.”