Altominho.tv

Viana do Castelo isenta de IMT investimento de 8 ME que vai criar 60 empregos

A Câmara de Viana do Castelo aprovou na quarta-feira, por unanimidade, isentar do pagamento do Imposto Municipal sobre Transmissões Onerosas (IMT) a construção de um novo hotel sénior e hospital de ambulatório que vai criar 60 postos de trabalho.

A proposta socialista, votada em sessão ordinária do executivo municipal, refere que à isenção de IMT “corresponderá o valor estimado de 81.636,75 euros”, e justifica a sua atribuição, prevista no regime municipal de incentivos criado em 2010, “face à relevância do investimento e à criação de postos de trabalho”.

Em causa está a construção, pelo Hospital Particular de Viana do Castelo – Grupo Saúde, na Avenida Capitão Gaspar de Castro, em Viana do Castelo, de um novo hotel sénior e hospital de ambulatório.

“Este novo investimento, que rondará os 8.000.000,00 euros, dotará a empresa dos meios necessários para a implementação do projeto, sendo que 1.255.950,00 euros correspondem ao valor da aquisição do terreno, com a consequente criação de cerca de 60 postos de trabalho”, lê-se no documento.

Na proposta aprovada, a maioria socialista adiantou que o novo projeto resulta “do processo de crescimento e consolidação” daquele grupo.

Contactado pela agência Lusa, o diretor adjunto operacional do Hospital Particular de Viana do Castelo – Grupo Saúde, Duarte Antunes, adiantou que “o investimento total ascende a 10 milhões de euros, valor que inclui o apetrechamento do hotel e da unidade de ambulatório”.

O responsável adiantou que, “inicialmente, vão ser criados 60 postos de trabalho, mas quando as duas infraestruturas entrarem em pleno funcionamento, a previsão é a de que aquele número atinja os 120, entre postos de trabalho diretos e indiretos”.

Duarte Antunes acrescentou que as obras deverão começar no primeiro trimestre de 2023, estimando a abertura do hotel sénior e da unidade de ambulatório para finais de 2024, início de 2025.

“Estamos seguramente a falar de dois anos de obra”, frisou.

Anteriormente à Lusa, o responsável disse que “o edifício terá uma área de construção de aproximadamente oito mil metros quadrados, distribuídos por cinco pisos”.

“O edifício responderá aos mais elevados critérios de qualidade, tendo como preocupações principais a sustentabilidade e inserção com o meio envolvente”, explicou Duarte Antunes.

O terreno, na Avenida Capitão Gaspar de Castro, uma das principais artérias da cidade, onde se encontram localizados uma unidade hoteleira de cinco estrelas e vários estabelecimentos de ensino, entre outros, foi comprado em 2008 pelo Hospital Particular de Viana do Castelo.

Em 2004, ainda na posse do Lar de Santa Teresa, o terreno onde vai nascer a nova unidade geriátrica do hospital particular chegou a ser apontado como local do novo centro de saúde de Viana do Castelo, mas o negócio com o Governo de então não chegou a concretizar-se.

Já o diretor clínico do Hospital Particular-Grupo de Saúde, Domingos Oliveira, referiu que “o projeto contempla a execução de um hotel sénior com 40 quartos individuais e 20 duplos totalizando uma ocupação máxima de 80 hóspedes e, uma unidade clínica com serviços de fisioterapia, gastroenterologia, e o alargamento do ambulatório com todas as especialidades”.

Atualmente o hospital particular tem uma unidade com sete pisos, três dos quais para internamento, com capacidade total de 48 camas, empregando 150 funcionários, integrados nos quadros, a que acrescem 150 colaboradores.

O hospital particular de Viana do Castelo, inaugurado em 2004, detém ainda uma unidade de saúde em Barcelos, no distrito de Braga, outra em Ponte de Lima com consultas, radiologia e serviço de fisioterapia, uma clínica de ambulatório em Valença, uma clínica de gastroenterologia em Viana do Castelo e um polo de fisioterapia em Vila Praia de Âncora, Caminha, estas no distrito de Viana do Castelo.