Altominho.tv

Hospital de Viana do Castelo suspende toda a atividade clínica não urgente

Em comunicado hoje enviado à imprensa, a Unidade Local de Saúde do Alto Minho (ULSAM) informou estar suspensa, desde segunda-feira, “toda a atividade clínica não urgente“.

Consultas externas, intervenções cirúrgicas, sessões do hospital de dia e meios complementares de diagnóstico e terapêutica, estão suspensos “por forma a diminuir significativamente a circulação de pessoas no perímetro dos hospitais, embora se mantenham as intervenções cirúrgicas prioritárias“.

“Será apenas realizada atividade programada em casos clinicamente relevantes, passando a ser privilegiadas as consultas não presenciais, sempre que tal seja possível e adequado”.

No que diz respeito aos cuidados de saúde primários, a ULSAM encerrou hoje “todas extensões e polos de saúde” existentes nos dez concelhos do distrito de Viana do Castelo.

“Esta decisão foi tomada a fim de permitir uma melhor gestão de recursos humanos, uma melhor gestão de riscos e uma melhor gestão dos Equipamentos de Proteção Individual (EPI)”, refere a nota.

Segundo a ULSAM, “foram criados 16 ADC – Área Dedicada ao Covid –  de acordo com a densidade populacional e a dispersão geográfica para garantir a efetiva separação dos doentes com doença aguda por problemas respiratórios, possíveis suspeitos de Covid-19”.

As 16 ADC funcionam “nos 12 centros de saúde do Alto Minho e as restantes quatro em unidades funcionais para garantir mais proximidade à população”.
“Apelamos aos cidadãos que recorram apenas de forma presencial aos centros de saúde em situações de doença aguda, privilegiando os contactos com os profissionais de saúde através do telefone ou por correio eletrónico”, adianta a nota.

A Direção-Geral da Saúde (DGS) elevou hoje número de casos confirmados de infeção para 448, mais 117 do que na segunda-feira, dia em que se registou a primeira morte no país.