Altominho.tv

Mais de 90 obras selecionadas para 21.ª Bienal de Arte de Cerveira

A 21.ª edição da Bienal Internacional de Arte de Cerveira, que vai decorrer entre 10 de julho e 13 de setembro, em Vila Nova de Cerveira, vai expor 92 obras de 80 artistas, de 16 nacionalidades.

Em comunicado, a Fundação Bienal de Arte de Cerveira (FBAC), que organiza o evento, adiantou que as obras foram selecionadas pelo júri do concurso internacional da XXI Bienal Internacional de Arte de Cerveira, entre “740 obras de 451 artistas oriundos de 40 países”.

“Temos registado, edição após edição, um elevado número de candidaturas a concurso, o que revela que a comunidade artística continua a acreditar no projeto Bienal de Cerveira como um palco de oportunidades para artistas emergentes”, destacou o diretor artístico da Bienal de Arte de Cerveira, Cabral Pinto, citado na nota enviada à imprensa.

Segundo a FBAC, as obras agora selecionadas são de artistas “maioritariamente provenientes de países como Portugal, Brasil e Espanha”.

Para o presidente da FBAC, Fernando Nogueira, citado naquela nota, “este número é revelador da importância do evento no cenário da cultura contemporânea nacional e internacional e vem reforçar o papel da Fundação Bienal de Arte de Cerveira enquanto entidade comprometida com a produção artística”.

“Os trabalhos dos concorrentes, juntamente com outras obras de artistas convidados, estarão sujeitos aos Prémios Câmara Municipal (Aquisição), num total de 20 mil euros”, adiantou a fundação.

O júri de seleção foi composto pelo diretor artístico do evento, Cabral Pinto, pelo pintor e vice-presidente da Sociedade Nacional de Belas Artes, Jaime Silva, pelo docente da Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto, Miguel Carvalhais, pela artista plástica e investigadora da Facultade de Belas Artes de Pontevedra da Universidade de Vigo, Tatiana Lameiro, e pela docente do Instituto de História da Arte da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa, Sandra Vieira Jürgens.

A XXI Bienal Internacional de Arte de Cerveira, com o tema “Diversidade-Investigação. O Complexo Espaço da Comunicação pela Arte”, “manterá o formato adotado desde a primeira edição, em 1978, afirmando-se como um local de encontro, debate e investigação de Arte Contemporânea, num programa concertado com o Ensino Superior das Artes a nível Europeu”.

O evento envolve, além do concurso internacional, representações de universidades, escolas superiores e politécnicos das áreas artísticas, artistas convidados nacionais e estrangeiros, homenagens, espetáculos, conferências e debates, ateliers, workshops e visitas guiadas.

A 20.ª edição, que decorreu entre 10 de agosto e 23 de setembro de 2018, apresentou mais de 600 obras, de 500 artistas de 35 países em 8.300 metros quadrados, num total de 14 espaços expositivos. O evento assinalou os 40 anos com uma homenagem ao pintor Cruzeiro Seixas.