Altominho.tv
PEXELS

Empresa Águas do Alto Minho começa a operar em janeiro

A Águas do Alto Minho, formada por sete dos 10 concelhos do distrito de Viana do Castelo, começa a operar em janeiro para servir 100 mil clientes, com abastecimento de água e saneamento de águas residuais.

Em comunicado, a empresa regional adiantou que o novo sistema “cobre uma área de 1.585 quilómetros quadrados e está dimensionado para fornecer mais de nove milhões de metros cúbicos de água potável, por ano, a cerca de 100 mil clientes e para recolher e tratar mais de seis milhões de metros cúbicos de água residual, por ano, a cerca de 70 mil clientes”.

No total, segundo dados avançados pela empresa em julho, a “rede de abastecimento de água tem 5.300 quilómetros de extensão, vai servir 204 mil habitantes e terá 100 mil clientes”.

A Águas do Alto Minho é uma empresa de gestão das redes de água em baixa e do saneamento, detida em 51% pela Águas de Portugal (AdP) e em 49% por sete municípios do distrito de Viana do Castelo (Arcos de Valdevez, Caminha, Paredes de Coura, Ponte de Lima, Valença, Viana do Castelo e Vila Nova de Cerveira), que compõem a Comunidade Intermunicipal (CIM) do Alto Minho.

Três concelhos do distrito – Ponte da Barca, Monção e Melgaço – reprovaram a constituição daquela parceria.

Na nota, a Águas do Alto Minho acrescentou que “assumirá, a partir de 01 de janeiro, a exploração e gestão do sistema de águas da região do Alto Minho, e que a partir do dia 02 terá “à disposição de todos os seus clientes, independentemente do seu local de consumo, oito lojas de atendimento”.

A nova entidade “vai concretizar, nos próximos três anos, investimentos na ordem dos 33,3 milhões de euros, com cofinanciamento comunitário através do POSEUR – Programa Operacional Sustentabilidade e Eficiência no Uso dos Recursos”.

“Dos 33,3 milhões de euros, 19,6 milhões de euros serão destinados à expansão das redes de abastecimento e de saneamento, aumentando a cobertura dos serviços, e 13,7 milhões de euros serão destinados à renovação das redes de abastecimento de água e à promoção da eficiência hídrica, com instalação de sistemas de monitorização e controlo para diminuição das perdas de água”, especifica a nota.

Em julho, em Viana do Castelo, aquando da assinatura do contrato de gestão, o ministro do Ambiente, João Pedro Matos Fernandes, disse que, dos 270 milhões de euros de investimento em abastecimento de água previstos executar pela nova empresa nos próximos 30 anos, “90 milhões vão ser concretizados durante a próxima década”.

Segundo a empresa regional, “o modelo tarifário foi uniformizado em todos os municípios, utilizando os mesmos escalões de consumo e tipologia de utilizadores, estabelecendo a convergência das tarifas, fixas e variáveis, no que respeita a valor, estrutura e tipologia de utilizadores”.

“O tarifário aplicado pela Águas do Alto Minho prevê tarifas especiais, como a tarifa para famílias numerosas, de forma a garantir o acesso universal aos serviços de águas e respeitando o princípio da acessibilidade económica”, sustenta a empresa.