Ponte de Lima investe 3 ME na redução de perdas de água

A Câmara Municipal de Ponte de Lima aprovou um investimento de cerca de três milhões de euros no controlo e redução de perdas de água nos sistemas de distribuição do concelho, informou o Município.

Em comunicado, a Câmara explicou que aquele investimento resulta “da agregação dos sistemas municipais de abastecimento de água para consumo público e de saneamento de águas residuais urbanas do Alto Minho”.

O montante aprovado em reunião camarária será aplicado “num conjunto de intervenções relativas à remodelação das redes existentes e aquisição de equipamentos de monitorização e controlo com vista à redução de perdas nos sistemas de distribuição e adução de água”.

Aquele investimento, financiado pelo Programa Operacional para a Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos (POSEUR), será concretizado pela empresa Águas do Alto Minho.

Em causa está a Águas do Alto Minho, empresa de gestão das redes de água, em baixa, e do saneamento, detida em 51% pela Águas de Portugal (AdP) e em 49% por sete municípios do distrito de Viana do Castelo que compõem a Comunidade Intermunicipal (CIM) do Alto Minho.

Dos dez concelhos do distrito de Viana do Castelo, três – Ponte da Barca (PSD), Monção (PSD) e Melgaço (PS) – chumbaram a constituição daquela parceria.

O investimento, explicou a autarquia na nota hoje enviada à imprensa, “irá promover a otimização e gestão eficiente dos recursos e infraestruturas existentes, garantindo a qualidade do serviço prestado às populações e a sustentabilidade dos sistemas”.

“A garantia de redução de perdas nos sistemas reveste-se, hoje em dia, de grande importância face à escassez cada vez maior de água sobretudo no nosso país em resultado da exposição que tem às alterações climáticas. A atuação neste domínio, levará a acréscimos de eficiência, não apenas através da redução de perdas de água, mas também da energia utilizada na respetiva produção e transporte, estabelecendo-se desta forma uma melhor relação custo-benefício face ao investimento necessário”, sustentou o município.

Fonte: Lusa