Associação de Turismo do Porto vai promover Caminha nos mercados internacionais

O diretor executivo da Associação de Turismo do Porto e Norte (ATP), Rui Pedro Gonçalves, disse ter “formalizado” uma parceria com o presidente da Câmara de Caminha para promover o concelho nos mercados internacionais.

“Foi um compromisso do presidente da Câmara de Caminha de se associar à ATP e, nesse âmbito, vamos começar já a trabalhar numa visita ao concelho de um grupo de operadores turísticos e de jornalistas de especialidade para verem o que existe de bom em Caminha no que diz respeito ao turismo de natureza e religioso para potenciar esses segmentos”, afirmou Rui Pedro Gonçalves.

Em declarações à agência Lusa, após uma reunião na Câmara de Caminha, Rui Pedro Gonçalves referiu que a ATP “é a única entidade certificada e com competências dadas pelo Turismo de Portugal para fazer promoção turística da região a nível global”.

Num “espírito de trabalho” entre a ATP e os autarcas da região, “estamos a estabelecer as parcerias necessárias para que, em conjunto e de uma forma global, possamos levar tudo o que tem de bom esta região Norte para o exterior”, adiantou.

Rui Pedro Gonçalves considerou que a reunião “foi o ponto de partida de um conjunto de longas conversas” que permitirão “estruturar os melhores produtos que Caminha pode oferecer e que podem despertar o interesse dos turistas de cada um dos mercados”.

“A partir de agora há uma ligação muito próxima entre a ATP e o senhor presidente de Caminha para percorrermos um caminho, fazendo despontar o interesse turístico por Caminha nos mercados internacionais”, sustentou.

Já o presidente da Câmara de Caminha, Miguel Alves, disse que, apesar do “crescimento registado nos últimos cinco anos, em que o número de dormidas aumentou 87% e o número de proveitos da hotelaria 112%, é preciso fazer mais” pelo setor.

“Estamos a crescer acima da média nacional e acima da média do Norte. Mas é preciso fazer mais. Precisamos de dar um salto maior, chegar a novos mercados e, para isso, é imperioso estabelecer novas parcerias com quem trabalha nessas novas paragens”, referiu o autarca socialista.

Segundo Miguel Alves, “dois terços dos turistas que visitam Caminha são portugueses e espanhóis”, por serem mercados a que o concelho “consegue chegar por via própria ou através do trabalho das empresas, operadores turísticos ou da entidade regional de Turismo Porto e Norte de Portugal”.

“A ATP tem competências delegadas do Turismo de Portugal para promover o território nos países não ibéricos e nós queremos que o nosso concelho chegue a paragens tão longínquas quão apetecíveis, como a América do Norte, o Brasil e o mercado asiático, sem descurar o centro da Europa”, apontou.

Miguel Alves defendeu a necessidade de “levar o nome do concelho aos operadores que trabalham com esses locais” para assim conseguir “subir um patamar no circuito da notoriedade”.

“No campeonato da notoriedade, o Alto Minho não está no lugar que merece. Na visibilidade, na publicidade, o Porto está na primeira liga, sendo um dos destinos mais procurados do mundo, e o Douro na segunda liga, graças a uma beleza inigualável e à fama do vinho do Porto. O eixo Braga/Guimarães estará numa terceira liga de notoriedade, graças à qualidade das duas cidades, e o Alto Minho, apesar da qualidade e riqueza que apresenta num plantel de dez municípios recheados de potencial, ainda está nas distritais”, exemplificou.

Fonte: Lusa