Altominho.tv

Obra de 400 mil euros visa travar sinistralidade em acessos a Ponte de Lima

A Câmara Municipal de Ponte de Lima vai submeter à aprovação da Assembleia Municipal um acordo com a Infraestruturas de Portugal (IP) para prevenir a sinistralidade na Estrada Nacional (EN) 203, de acesso àquela vila, informou hoje o município.

Segundo a autarquia, o Acordo de Gestão “permitirá ao município avançar com uma intervenção, enquanto dono da obra, sendo a mesma financiada em cerca de 400 mil euros pela IP”.

“O projeto em causa prevê o tratamento de travessia urbana, incluindo reordenamento de acessos e reformulação de interceções, através da construção de duas rotundas de forma a reduzir a velocidade de circulação automóvel, promovendo-se, de uma forma articulada com a intervenção já adjudicada pelo município relativa às ciclovias e vias pedonais da envolvente urbana, uma maior segurança para o peão”, sustentou a Câmara de Ponte de Lima.

Na nota hoje enviada à imprensa, a autarquia liderada por Victor Mendes (CDS) referiu que “são promovidas, através de ambos os projetos, as condições de sustentabilidade ambiental, de fluidez de tráfego e segurança da circulação, esperando-se que estas medidas possam efetivamente permitir uma redução dos registos de sinistralidade verificados nesta via”.

No documento, a autarquia sublinhou que a sinistralidade rodoviária na Via Foral de D. Teresa (designação daquele troço da estrada), “continua a ser uma das principais preocupações do município no que diz respeito à segurança rodoviária no concelho”.

“A via em causa é um dos principais acessos à vila de Ponte de Lima, integrando uma malha urbana plenamente consolidada, onde se localizam diversos espaços e equipamentos públicos educativos e desportivos, bem como estabelecimentos de comércio e de serviços”, explicou.

Em novembro último, um movimento cívico criado em Ponte de Lima promoveu uma vigília para “sensibilizar peões e automobilistas” para a necessidade de prevenir a sinistralidade na EN 203, de acesso àquela vila.

A vigília surgiu na sequência de um atropelamento, que causou a morte de uma mulher de 56 anos.

Na altura, contactado pela agência Lusa, o autarca Vítor Mendes adiantou ter chegado a acordo com a IP, empresa responsável pela EN 203, para a assinatura de um protocolo de gestão para a construção de duas novas rotundas, que permitam acabar com aquele “ponto negro” do concelho.

“Fruto da pressão política que o município de Ponte de Lima tem feito, foi possível chegar a acordo para a celebração deste protocolo. Este acordo foi alcançado antes do grave acidente de domingo passado”, disse, na altura, Vítor Mendes.

Já em novembro de 2017, a Câmara de Ponte de Lima aprovou um voto de protesto por a IP não ter requalificado aquela via.

No protesto, o município alertava para o facto de se tratar “de um dos principais acessos a Ponte de Lima e integrar uma malha urbana plenamente consolidada, onde se localizam diversos espaços e equipamentos públicos educativos e desportivos, bem como, estabelecimentos de comércio e de serviços”.

Redes Sociais

Mais de 50.000 pessoas acompanham a Altominho.tv nas principais redes sociais. Junte-se à nossa comunidade no Facebook, Twitter, Youtube e Instagram.
Acompanhe-nos nesta viagem pelo Alto Minho!