Altominho.tv

Politécnico de Viana do Castelo comemora 36 anos

O Instituto Politécnico de Viana do Castelo comemora este domingo, dia 15 de maio, o seu 36º aniversário.

Trata-se do primeiro aniversário que Carlos Rodrigues, enquanto Presidente do IPVC, vai comemorar de forma presencial, uma vez que os últimos dois foram assinalados à distância, devido à crise pandémica.

Um momento para reunião e partilha entre toda a comunidade académica no qual o Presidente do Politécnico de Viana do Castelo vai fazer um balanço da atividade mais recente da instituição, aproveitando ainda para falar do que está a ser projetado a curto e a médio prazo.

A construção dos edifícios de investigação merece destaque. O novo edifício do centro de Investigação e Desenvolvimento (I&D), em Ponte de Lima, vai apoiar o desenvolvimento e a valorização dos produtos endógenos, indo ao encontro dos interesses e necessidades da região.

Já o edifício a nascer junto à Praia Norte, em Viana do Castelo, vai fomentar a investigação na área da economia azul através do desenvolvimento de projetos e testes no âmbito das Energias Renováveis Oceânicas, Robótica Submarina, Tecnologia Alimentar direcionada aos recursos marinhos.

Carlos Rodrigues destaca também a construção de novas residências, que conta com a colaboração das câmaras de Valença e Melgaço, e que vai permitir a disponibilização de quase 400 camas.

A criação de duplas titulações com instituições do Conselho Nacional das Instituições da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica (Conif) e o desenvolvimento de projetos de investigação conjuntos são outros projetos que o Politécnico de Viana do Castelo tem em mãos.

Integrar a rede de universidades europeias, o reforço da cooperação com os PLOP e o aumento do número de alunos internacionais são ainda objetivos a concretizar pelo Presidente do Politécnico de Viana do Castelo.

Carlos Rodrigues evidencia também o projeto BAITS, que surge no alinhamento com o Plano de Recuperação e Resiliência (PRR), cujo financiamento é superior a quatro milhões de euros. Com o BAITS vai ser possível disponibilizar, entre outros, mentorias, tutorias, o ano zero, de forma a mitigar o abandono escola, novas abordagens de ensino, nomeadamente o ensino à distância que vai atrair novos públicos, o reforço da oferta formativa ao nível dos CTeSP e Mestrados.

Com estas medidas o IPVC pretende qualificar os recursos humanos do tecido empresarial de forma a tornar a região mais competitiva no mercado global, bem como apostar na digitalização e modernização dos serviços.