Altominho.tv

Museu dos Terceiros acolhe conferência “Teresa, infanta de Leão e condessa de Portucale” no sábado

D. Teresa, fundadora de Ponte de Lima, será a protagonista da Conferência “Teresa, infanta de Leão e condessa de Portucale”, da autoria do Professor Luís Carlos Amaral, no próximo dia 27 de novembro, no Museu dos Terceiros, às 15h30.

A palestra integra o Ciclo de Conferências “Estórias do Minho – Narrativas no Feminino de uma Geografia Identitária”, no âmbito do projeto âncora “PA2. Touring Cultural – Identidade Cultural do Minho”, cofinanciado pelo Norte 2020 e promovido pelo Consórcio Minho Inovação, que integra as três Comunidades Intermunicipais do Alto Minho, Cávado e Ave.

Esta 19.ª conferência, a realizar em Ponte de Lima, “pretende constituir um momento de reflexão sobre a figura de Teresa de Leão, que continua hoje a despertar um significativo interesse, que resulta grandemente do relevante papel que teve na configuração política do Noroeste hispânico, nas décadas que imediatamente antecedem a formação de Portugal. Uma revisitação dos principais momentos do seu governo permitirá compreender melhor a força e a capacidade interventiva que caracterizaram a sua personalidade”. 

A conferência irá contar com a participação de um reputado painel de investigadores, constituído por Luís Carlos Amaral, Professor Auxiliar do Departamento de História da Faculdade de Letras da Universidade do Porto e  investigador do CITCEM, por Arnaldo Sousa e Melo, Professor Auxiliar com Agregação do Departamento de História do Instituto de Ciências Sociais da Universidade do Minho, e por Maria Joana Costa Gomes, Investigadora do Instituto de Filosofia da Faculdade de Letras da Universidade do Porto. A mesa redonda será moderada por Maria Amélia Ribeiro de Carvalho, docente no Instituto de Letras e Ciências Humanas da Universidade do Minho.

Esta sessão contará ainda com a participação do Grupo Vocal Ançable que interpretará trechos musicais do século XII do reino de Leão.

O Ciclo de Conferências que percorre os 24 municípios do Minho “pretende valorizar um olhar inovador sobre a herança cultural do Minho rememorada no feminino, enquanto sociedade de forte tradição matriarcal, propiciando uma narrativa congregadora de saberes e valores identitários que importam estudar, conhecer, cuidar, preservar, valorizar e divulgar”. 

Seguem-se ainda, no mês de novembro, uma conferência em Mondim de Bastos, no dia 29, e em dezembro, em Arcos de Valdevez, no dia 4, em Braga, no dia 8, em Paredes de Coura, no dia 10, e em Valença, no dia 11.

A participação nestas sessões é gratuita, contudo necessita de inscrição prévia.