Altominho.tv

Cúria Diocesana de Angra manifesta “pesar” pela saída de bispo

A Cúria Diocesana de Angra manifestou, em comunicado, “pesar” pela saída de João Lavrador do cargo de bispo da diocese, ao mesmo tempo que lhe desejou “as maiores prosperidades” como novo bispo de Viana do Castelo.

“É com pesar que vemos partir o nosso bispo, ao mesmo tempo que lhe desejamos as maiores prosperidades pessoais e pastorais, sempre ao serviço da Igreja e da Sociedade no nosso país”, refere o comunicado, assinado pelo vigário-geral da diocese de Angra, cónego Hélder Fonseca Mendes.

O Papa Francisco nomeou na terça-feira João Lavrador novo bispo diocesano de Viana do Castelo, sucedendo a Anacleto Oliveira, que morreu em setembro de 2020 num acidente de viação, informou a Conferência Episcopal Portuguesa.

João Lavrador, 39.º bispo de Angra, liderou a diocese insular durante cinco anos, menos um do que os que esteve a residir na região, primeiro como bispo coadjutor e depois como bispo titular.

O seu episcopado, segundo o site Igreja Açores, fica marcado pelo desafio da caminhada sinodal, iniciada há três anos, e que agora terá de ser articulada com a caminhada sinodal proposta a toda a Igreja pelo Papa Francisco.

João Evangelista Pimentel Lavrador nasceu em 18 de fevereiro de 1956, em Seixo, concelho de Mira, diocese de Coimbra.

Após a ordenação sacerdotal em Coimbra, em 14 de junho de 1981, foi colocado como vice-pároco na paróquia de Pombal, na qual se dedicou especialmente à pastoral juvenil.

Em 07 de maio de 2008 foi nomeado Bispo Titular de Luperciana e Auxiliar do Porto e, em 2015, nomeado Bispo de Angra, nos Açores.

A nomeação foi “acolhida com “imensa alegria” pela Diocese de Viana do Castelo que vinha apelando à nomeação do sucessor de Anacleto Oliveira, que morreu em setembro de 2020 num acidente de viação.

Em comunicado, a Diocese de Viana do Castelo agradece ao Papa Francisco “a graça do pastor que Deus envia” e diz acolhendo “em festa o pastor de esperança para o Alto Minho”.

“Manifestando, desde já, a disponibilidade na edificação desta mesma igreja em espírito de comunhão, participação e missão e, na fidelidade à ação pastoral dos seus antecessores, queremos ser sal da terra e luz do mundo, para arder e iluminar e, assim, fermentar a nova seiva de um Alto Minho justo e mais cristão”, sublinhou a nota.

O anterior bispo de Viana do Castelo, Anacleto Oliveira, morreu aos 74 anos, na sequência do despiste do automóvel que conduzia na Autoestrada do Sul (A2) perto de Almodôvar, no distrito de Beja.