Altominho.tv
FEDERAÇÃO DISTRITAL PS

Miguel Alves concorre a último mandato e quer reforçar maioria PS em Caminha

O presidente da Câmara de Caminha recandidata-se pelo PS, pela última vez, devido à limitação de mandatos, com a “expectativa de reforçar a maioria na autarquia e na assembleia” daquele concelho do distrito de Viana do Castelo.

“Nas eleições autárquicas de setembro, tenho a expectativa de reforçar a maioria na Câmara e na Assembleia Municipal. Estamos a trabalhar para ganhar as eleições com mais votos e mais mandatos no conjunto do concelho”, disse hoje à agência Lusa o autarca que a 12 de setembro completa 46 anos.

Miguel Alves, que é também presidente da Federação Distrital do PS de Viana do Castelo e do Conselho Regional do Norte [órgão consultivo da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte (CCDR-N)], apontou “as três linhas de força” para o próximo mandato, caso vença as eleições de 26 de setembro, que passam pela “criação de emprego, aposta na habitação e sustentabilidade ambiental”.

“Apresentei já à população de Caminha os meus três principais compromissos para o próximo mandato. A criação do Centro de Ciência e Tecnologia na zona de Argela e Vilar de Mouros de modo a aprofundar a criação de emprego no concelho através da diversificação da atividade económica. O investimento será feito através de um Fundo de Capital de Risco para a Internacionalização com capitais públicos e privados que permitirá criar uma área de acolhimento empresarial que terá como base indústrias de desenvolvimento e produção automóvel”, adiantou.

Segundo o autarca, “o projeto contará com um Centro de Formação Profissional com cursos de especialização tecnológica e uma aceleradora de empresas que potenciará a criação de mais indústria e mais emprego”.

“Trata-se de um investimento que poderá chegar aos 80 milhões de euros e ocupará 12 hectares de Argela e Vilar de Mouros, junto à ligação com a autoestrada A28”, destacou.

Natural de Lisboa, mas a viver em Caminha desde criança e até ingressar na Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra, o candidato do PS destacou ainda um “investimento de 4,5 milhões de euros para reabilitar ou construir 47 habitações até 2026, num esforço que pretende incentivar os privados a investir na reabilitação urbana e na oferta de casas a custos controlados para fixar população e atrair novos moradores”.

“A Câmara vai dar o exemplo e começar por reabilitar e construir habitação pública de modo a erradicar do concelho, nos próximos cinco anos, todas as habitações pouco dignas ou sem condições básicas de habitabilidade, criando ainda habitações de recuo e emergência”, revelou.

Aquele “esforço”, disse, “permitirá criar condições para que os privados possam investir em nova habitação, a custos controlados, beneficiando toda a população”.

A criação da Área Protegida da Serra d’Arga e o alargamento da rede de saneamento a 90% da população de Caminha, são outras das prioridades da candidatura socialista.

Para Miguel Alves, “o último mandato teve a excecionalidade do combate à pandemia de covid-19, que veio interromper uma trajetória de crescimento da economia e de diminuição do desemprego”, mas realçou as “marcas” de quatro anos de governação “na requalificação urbana no centro histórico e na zona da Sandia e Vista Alegre, em Vila Praia de Âncora, as obras na escola secundária de Caminha, na básica de Vila Praia de Âncora e na sede da Academia de Música Fernandes Fão”.

Destacou também “o alargamento da rede de ecovias e o lançamento de obras de saneamento em Âncora, Argela, Moledo e Cristelo, Venade e Azevedo e Vilar de Mouros”.

“Fizemos muito, mas fomos travados pela pandemia, que nos obrigou a proteger as pessoas e a desviar parte das nossas atenções para apoiar as empresas, as instituições e toda a comunidade. Estamos a dar a volta à situação e estamos preparados para uma nova fase da nossa vida coletiva”, reforçou.

Miguel Alves estreou-se nas eleições autárquicas de 2013 e recuperou para o PS a liderança da Câmara Municipal, 12 anos depois de os socialistas a terem perdido para o PSD.

Nas autárquicas de 2017, o PS voltou a ganhar, com 53,15% dos votos e quatro mandatos, enquanto o PSD atingiu 39,14%, garantindo três lugares no executivo municipal. Nessas eleições, o PSD apostou na ex-autarca Júlia Paula Costa para recuperar aquela autarquia do Alto Minho, mas sem sucesso.

Além de Miguel Alves, concorrem à Câmara de Caminha Liliana Silva do PSD, em coligação com o CDS-PP, Aliança e Partido Popular Monárquico (PPM), Rui Seixo pela CDU e Luís Braga pelo Bloco de Esquerda.

O anunciado candidato do Chega ficou fora da corrida eleitoral por ter entregado as listas de candidatura às eleições autárquicas de setembro nos serviços da autarquia e não no Tribunal, como é exigido por lei.

As eleições autárquicas decorrem no dia 26 de setembro.

Small ads

Highlight option

Turn on the "highlight" option for any widget, to get an alternative styling like this. You can change the colors for highlighted widgets in the theme options. See more examples below.

Flickr

  • la muchacha du Louvre
  • happy hour
  • le senior des Panoramas
  • a touch of Africa
  • abysmal tale
  • la boulangerie
  • la  boulangère
  • Machiko
  • rue des Barres