Altominho.tv
Joca Fotógrafos/O Minho

Gonçalo Abreu Lima concorre pelo Chega por mandato na Câmara de Ponte de Lima

O empresário Gonçalo Abreu Lima vai concorrer à Câmara de Ponte de Lima pelo Chega, afirmando que conquistar um mandato naquele executivo será um “excelente” resultado para o partido nas eleições autárquicas deste ano.

Em declarações à agência Lusa, o candidato do Chega, de 60 anos, natural de Ponte de Lima mas a residir em Cascais, no distrito de Lisboa, disse ter aceitado o “desafio” por considerar que “vai ser uma campanha complicada”.

“Tenho as expectativas muito altas. O cenário político está muito pulverizado. Acho que a minha candidatura vai ter uma boa votação e que o Chega vai conseguir um mandato no executivo municipal. Para nós era excelente”, referiu Gonçalo Abreu Lima.

Licenciado em gestão, administrador de uma empresa e sócio-gerente de outra, o candidato do Chega referiu ter chegado o momento para “fazer melhor” pela terra natal.

“Nasci em Ponte de Lima, mas resido em Cascais. De 15 em 15 dias vou a Ponte de Lima porque tenho lá família. O que me move é o amor por Ponte de Lima e o sentido de responsabilidade que tenho neste momento de fazer alguma coisa por Ponte de Lima. Como bom limiano tenho a preocupação de conservar o que existe de bom. O que está feito não digo que está mal feito, antes pelo contrário. Há coisas muito bem feitas. Agora eu digo que se podia fazer melhor. Pode-se fazer melhor no património, cultura, ambiente, fixação de emprego”, especificou.

Nas eleições autárquicas deste ano, por limitação de mandatos haverá mudança de liderança municipal em Ponte de Lima, segundo concelho mais populoso do Alto Minho e que, até 2013, era a única Câmara Municipal do país detida pelo CDS-PP.

Naquela vila, que se intitula como a “mais antiga de Portugal”, Victor Mendes, sucessor de Daniel Campelo, termina 12 anos consecutivos como presidente da Câmara pelo CDS-PP.

Nas últimas autárquicas, o CDS-PP alcançou 52,11% dos votos e conquistou cinco mandatos. O Movimento Ponte de Lima Minha Terra (PLMT), liderado por Abel Batista, que já anunciou a recandidatura às próximas eleições, atingiu 23,66% dos votos e garantiu dois lugares no executivo municipal.

Segundo a lei, as eleições autárquicas decorrem entre setembro e outubro, mas ainda não têm data marcada.