Altominho.tv
CM VIANA DO CASTELO

Viana do Castelo lança programa Árvores da Memória para classificar exemplares de interesse municipal

A Câmara de Viana do Castelo lançou o programa Árvores da Memória dirigido aos agrupamentos escolares e ao público em geral, que visa à classificação dos exemplares espalhados pelo concelho, como Arvoredo de Interesse Municipal.

“Esta classificação permitirá a identificação e a caracterização do valor natural e cultural do arvoredo municipal de Viana do Castelo, o seu reconhecimento público, bem como a definição de estratégias de proteção e conservação, incluindo medidas fitossanitárias e de mitigação desse risco, mas também oportunidades de valorização educativa e turística desses elementos”, disse à Lusa o vereador do Ambiente e da Biodiversidade.

Para garantir “a participação dos agrupamentos escolares e do público na identificação de exemplares ou conjuntos arbóreos, a Câmara Municipal criou o um sítio na Internet (www.arvoresdamemoriaviana.pt), disponibilizado esta quarta-feira e a partir do qual, através do telemóvel ou do computador, é possível referenciar”.

Segundo Ricardo Carvalhido, aquele programa, lançado no âmbito da II Semana da Floresta, que a autarquia está a promover até sexta-feira, surge na sequência de “um primeiro trabalho realizado juntamente com as 27 Juntas e Uniões de Freguesia, em que foram inventariados 92 exemplares e conjuntos arbóreos”.

“Com o programa Árvores da Memória, alargamos este exercício, que queremos coletivo e participado, aos agrupamentos escolares e ao público em geral”, destacou Ricardo Carvalhido.

Segundo aquele responsável, o objetivo passa por “identificar árvores que se distingam de outras da sua espécie pelo porte, desenho, idade e raridade, ou que tenham interesse paisagístico, ou aquelas cuja vida esteja interligada com acontecimentos da história das pessoas e dos lugares”.

“Depois de termos essa lista elaborada, os serviços da Câmara Municipal irão analisar cuidadosamente cada uma das candidatas e selecionar quais poderão ser consideradas Arvoredo de Interesse Municipal”, especificou.

“Os elementos inventariados serão sujeitos a avaliação do seu valor, tarefa essencial à decisão (ou não) da sua classificação. Para estas tarefas requer-se a elaboração do Regulamento de Arvoredo de Interesse Municipal, documento que está presentemente a ser trabalhado e que a seu tempo será apresentado à Câmara para apreciação”, adiantou Ricardo Carvalhido.

A “classificação de Arvoredo de Interesse Municipal depende de um inventário exaustivo dos espécimes conservados no território de Viana do Castelo na forma de, e segundo a perspetiva do regime jurídico previsto na Lei n.º 53/2012, de 5 de setembro”.

A classificação prevista naquela legislação abrange “os povoamentos florestais, bosques ou bosquetes arboretos, alamedas e jardins de interesse botânico, histórico, paisagístico ou artístico, bem como os exemplares isolados de espécies vegetais que, pela sua representatividade, raridade, porte, idade, historial, significado cultural ou enquadramento paisagístico, possam ser considerados de relevante interesse público e se recomende a sua cuidadosa conservação”.

Além de pretender “a educação e a literacia para o ambiente e a biodiversidade”, este programa “visa também estimular momentos diferenciados de convívio familiar de avós, pais e netos em torno das árvores e a sua história”.