Altominho.tv

Obras 745 mil euros reabilitam bairro social com meio século em Ponte de Lima

O Instituto da Habitação e Reabilitação Urbana (IHRU) vai iniciar em abril a empreitada de reabilitação no Bairro da Escola Técnica, em Ponte de Lima, com perto de 50 anos, num investimento de 745 mil euros, foi hoje divulgado.

Em comunicado enviado à agência Lusa, o IHRU adiantou que “a intervenção no edificado ocorrerá no início de abril”, como a reabilitação “dos blocos 3 e 4” do bairro social do distrito de Viana do Castelo.

“A empreitada de reabilitação a realizar no Bairro da Escola Técnica, situado na União de Freguesias de Arca e Ponte de Lima, abrange um total de 46habitações, e conta com um investimento de 745.113,90 euros, sendo financiada por fundos do Portugal 2020 no montante de 506.826,98 euros”, refere aquele instituto.

Segundo o IHRU, “as intervenções a realizar compreendem a beneficiação integral das partes comuns, nomeadamente coberturas, fachadas, caixilharias e caixas de escada, incluindo isolamento térmico e das redes hidráulicas, elétrica e de telecomunicações”.

A intervenção, “possível graças à cooperação entre o IHRU e Câmara de Ponte de Lima”, tem como “principal objetivo a melhoria das condições de conforto das habitações e da urbanidade do edificado de modo a aumentar o bem-estar, o nível de conforto e a autoestima dos agregados que nele habitam”.

Na reabilitação da envolvente exterior, o IHRU pretende “aumentar a eficiência energética do edificado, com o recurso à aplicação de materiais que, ao salvaguardar essa mesma envolvente, são indutores da qualificação e melhoria do seu desempenho e conforto dos que aí residem”.

Aumentar a qualidade do ar no interior das habitações com o recurso a sistemas passivos de renovação do ar, minimizar a degradação do sistema estrutural do edificado, anulando a permeabilidade dos paramentos exteriores quando sujeitos à incidência de águas pluviais e aumentar o conforto acústico associado ao revestimento da envolvente exterior dos paramentos e dos vãos exteriores, são outros dos trabalhos previstos.

Além de “aumentar o conforto visual do edificado, permitindo a sua integração no tecido urbano”, as obras incluem, entre outros trabalhos, a renovação das infraestruturas de distribuição de energia elétrica às habitações e da rede de telecomunicações”.

Está ainda prevista “a remoção integral do revestimento existente em telha cerâmica” e a substituição, “na íntegra, por um sistema constituído por subtelha em chapa do tipo ‘onduline’ e telha cerâmica tipo ‘argibetão’ a aplicação e assentamento sobre a laje de esteira da cobertura do último piso de isolamento térmico em poliestireno com oito centímetros de espessura, para reforço da proteção das habitações no que se refere ao conforto térmico das casas”.

As intervenções nas paredes e vãos exteriores, na renovação de ar do interior das habitações e nas áreas comuns também constam do projeto.