Altominho.tv

Águas do Alto Minho lança novo sistema de gestão e reforça atendimento

A empresa de gestão das redes de abastecimento de água em baixa e de saneamento Águas do Alto Minho (AdAM) anunciou esta segunda-feira a implementação de um novo sistema de gestão comercial, associado ao reforço do atendimento ao cliente.

Em comunicado, a empresa adiantou que o “reforço” do atendimento ocorrerá “tanto em loja como por telefone”, acrescentando que “o lançamento uma aplicação móvel marca o início de um novo ciclo na AdAM para melhorar o serviço ao cliente”.

“Implementámos com sucesso um novo sistema de gestão comercial, o Aquamatrix, um sistema robusto e líder de mercado que está implementado em vários municípios e empresas do setor, como a EPAL – Empresa Portuguesa das Águas Livres, o que nos possibilita resolver todos os problemas de faturação e de integração dos sete sistemas”, afirmou o presidente do conselho de administração da AdAM Carlos Martins, citado na nota.

No documento, o responsável adiantou que “as novas medidas vão permitir reduzir os tempos de espera e possibilitar que as pessoas interajam mais facilmente connosco do conforto de suas casas”.

Entre as medidas anunciadas, Carlos Martins, destacou “o novo sistema de gestão comercial e o serviço de atendimento telefónico de ‘call-back’, em complemento da aplicação para smartphones myAQUA, e o reforço de recursos humanos para a direção comercial e atendimento ao cliente”.

“Neste primeiro ano de atividade, a AdAM atingiu vários objetivos, tendo assegurado o fornecimento de água e o normal funcionamento dos sistemas de saneamento, com equipas de operação e de manutenção disponíveis 24 horas por dia. O ano de 2020 decorreu em circunstâncias extremamente severas para todos e exigiu muita dedicação e empenho dos trabalhadores da AdAM para garantir o abastecimento e o saneamento sem interrupções, a quem reconhecemos o esforço, a dedicação e enorme profissionalismo”, reforçou o administrador.

Segundo Carlos Martins, “os requisitos do Plano de Controlo de Qualidade da Água foram integralmente cumpridos, sendo de registar a melhoria do indicador de Água Segura da entidade reguladora do setor (ERSAR), atingido o valor de 98,7% água segura”.

“Foi dado início a um plano de investimentos de 20 milhões de euros em novas obras de expansão de redes de água e águas residuais, que já permitiu o alargamento do serviço a lugares que nunca tinham tido acesso ao serviço de água e aos serviços de saneamento, nomeadamente a Ermelo (Arcos de Valdevez), a Nogueira e Portela Susã (Viana do Castelo), à ETAR de Robordões Souto, servindo Fornelos, Queijada e Anais, à ETAR do Freixo (Ponte de Lima) e ao saneamento de Argela (Caminha)”, especificou.

Carlos Martins salientou ainda “o investimento de 13 milhões de euros para combater as perdas de água, promovendo a instalação de um sistema de telegestão, de deteção de fugas, bem como à substituição de condutas com históricos problemas de roturas”.

O responsável referiu-se aos “grandes constrangimentos à atividade da empresa, relacionados com a complexidade da integração de sete sistemas de faturação dos municípios, que causou erros e cuja resolução foi afetada pelos constrangimentos decorrentes da pandemia de Covid-19”.

O presidente da AdAM acrescentou que “o novo sistema de gestão comercial e o reforço das equipas são medidas que complementam o esforço na melhoria do atendimento aos clientes que já implementámos, nomeadamente ao nível da digitalização dos serviços”. “A esmagadora maioria das situações e interações com a AdAM já podem ser resolvidas tanto no nosso balcão digital como na nova aplicação para smartphone”, observou.

O responsável disse “reconhecer e lamentar o incómodo sofrido pelos seus clientes, num ano particularmente desafiante”, e assumiu “o empenho em prosseguir todos os esforços para cumprir a missão de prestar um serviço cada vez mais fiável, eficaz e de qualidade”.

A AdAM, empresa de gestão das redes de água em baixa e de saneamento, é detida em 51% pela AdP e em 49% pelos municípios de Arcos de Valdevez (PSD), Caminha (PS), Paredes de Coura (PS), Ponte de Lima (CDS-PP), Valença (PSD), Viana do Castelo (PS) e Vila Nova de Cerveira (Movimento independente PenCe – Pensar Cerveira), que compõem a Comunidade Intermunicipal (CIM) do Alto Minho.

Três concelhos do distrito – Ponte da Barca (PSD), Monção (PSD) e Melgaço (PS) – reprovaram a constituição daquela parceria.

A nova empresa começou a operar em janeiro de 2020, “dimensionada para fornecer mais de nove milhões de metros cúbicos de água potável, por ano, e para recolher e tratar mais de seis milhões de metros cúbicos de água residual, por ano, a cerca de 70 mil clientes”.

Em abril de 2020, a empresa suspendeu a faturação depois de terem sido detetados erros de faturação que afetaram 15 mil consumidores.

A constituição tem sido contestada por vários partidos e pela população de alguns concelhos, que se queixam do aumento “exponencial” das tarifas e do “mau” funcionamento dos serviços.

Em janeiro, a AdAM iniciou a regularização dos consumos não faturados em 2020, na sequência de erros que afetaram 15 mil consumidores.

Small ads

Highlight option

Turn on the "highlight" option for any widget, to get an alternative styling like this. You can change the colors for highlighted widgets in the theme options. See more examples below.

Flickr

  • good times
  • vilebrequines
  • Coral way
  • city of
  • anamorphic
  • lonely
  • pilates
  • horn
  • corridor