Altominho.tv

PSD condena a inexistência de alternativa à fronteira da Madalena

O PSD de Ponte da Barca condena a decisão do Governo de decretar o total encerramento da fronteira da Madalena, em Lindoso, ao invés de ser criado um posto de passagem autorizado à semelhança dos concelhos do Vale do Minho.

A fronteira da Madalena é um dos muitos pontos de passagem totalmente encerrados a partir deste Domingo, não tendo sido opção do Governo de considerar o funcionamento de um ponto de passagem autorizado.

Uma decisão que penaliza os muitos trabalhadores transfronteiriços e impede a circulação de transportes de mercadoria na mais importante e movimentada via de acesso do Alto Minho com a província de Ourense.

O controlo das fronteiras terrestres com Espanha será feito a partir das 00h00 de hoje. No Alto Minho existem 2 pontos de passagem, a fronteira Valença/Tui pela ponte internacional ( ligação IP 1-A 3) estará aberta de foram permanente 24 horas por dia, enquanto a ponte internacional que une Monção/Salvaterra do Minho estará aberta apenas nos dias úteis das 7h00 às 9h00 e das 18h00 às 20h00 (hora portuguesa) e será encerrada aos fins-de-semana.

Entretanto, o Agrupamento Europeu de Cooperação Territorial (AECT) Rio Minho anunciou que vai “contestar pelas formas legais ao seu alcance”, o encerramento de três pontes entre o Alto e a Galiza, pelo “interesse superior dos trabalhadores transfronteiriços”.

O AECT Rio Minho está completamente em desacordo com a medida governamental de encerramento de três pontes sobre o rio Minho, publicada num despacho do Ministério da Administração Interna (…). Consensualizadas pelos problemas causados por esta medida, as autarquias afetadas vão contestar estes encerramentos pelas formas legais ao seu alcance, em interesse superior dos trabalhadores transfronteiriços“, refere aquele organismo em comunicado enviado às redações.