Altominho.tv

Romaria da Senhora da Agonia será adaptada face às restrições e condicionalismos impostos

A Romaria da Senhora d’Agonia, em Viana do Castelo, vai festejar-se em formato virtual, devido à pandemia de Covid-19, sendo que apenas o dia 20 de agosto, dedicado à padroeira, será celebrado presencialmente, cumprindo as normas das autoridades de saúde.

“Vai manter-se o centro da festa que é o dia dedicado a Nossa Senhora d’Agonia, com uma celebração litúrgica no santuário, de forma presencial, com o número de pessoas que forem definidas, no final do mês de maio, pela Conferência Episcopal Portuguesa, pelo Governo e pela Direção-Geral da Saúde (DGS). As presenças serão sempre limitadas a essas orientações”, afirmou hoje, em declarações à agência Lusa, o presidente da Câmara de Viana do Castelo.

A decisão foi tomada hoje, no final de uma reunião entre o presidente e a respetiva Comissão Executiva das Festas de Nossa Senhora da Agonia, a VianaFestas, a Real Confraria de Nossa Senhora da Agonia, a presidente da VianaFestas, o pároco de Monserrate e o presidente da Câmara Municipal de Viana do Castelo.

A edição 2020 da Romaria Nossa Senhora da Agonia tem cinco dias de festa, entre 19 e 23 de agosto.

Na edição 2019, que decorreu entre 16 e 20 de agosto, segundo estimativas avançadas na altura pela VianaFestas, entidade que organiza as festas, terão passado pela cidade “mais de 1,2 milhões de pessoas”.

José Maria Costa adiantou que para quem não poder estar presente, a celebração litúrgica da Senhora da Agonia “será transmitida através da rádio, da televisão e de meios audiovisuais e tecnológicos“.

“Toda a festa litúrgica será feita dentro das normas perfeitamente identificadas pelas autoridades de saúde e de acordo com as orientações da Conferência Episcopal Portuguesa e do Bispo da Diocese de Viana do Castelo”, especificou.
O autarca adiantou que os restantes números emblemáticos da Romaria da Senhora d’Agonia, a comissão de festas está a trabalhar para que a festa seja feita com recurso a outros meios.

Assinalaremos os momentos da festa, para as pessoas em casa, através dos meios digitais, passando vídeos, reportagens nas rádios e nas redes sociais, não deixando, cada pessoa, na sua casa, de poder viver a festa“, especificou.

José Maria Costa explicou que a comissão de festas “vai recriar, através dos meios tecnológicos disponíveis, o que não puder ser vivido nas ruas, para que as pessoas, em casa, quer em Viana do Castelo, quer na diáspora possam também viver a romaria“.

“É o que se pode fazer. Temos de ser criativos e de encontrar formas de divulgar a tradição. Estamos certos de que os vianenses não deixarão de viver, intensamente, a romaria, em casa, e de serem criativos na forma de exteriorizar a festa”, disse.

O desfile da mordomia, com todos os trajes de festa de Viana do Castelo, a procissão ao rio e ao mar em honra da Senhora d’Agonia que se cumpre sempre a 20 de agosto, desde 1968, contando com pescadores de dezenas de embarcações, a confeção dos tapetes de sal na ribeira de Viana, na noite anterior ao dia da padroeira, que mobiliza centenas de pessoas, e o cortejo histórico-etnográfico são alguns dos números emblemáticos da romaria datada da primeira década do século XX.

Reunião Senhora da Agonia