Altominho.tv

Valença e Tui protagonizam reunião “inédita” entre cidades de países diferentes

As forças políticas de Valença, Alto Minho, e Tui, Galiza, que desde 2012 formam uma eurocidade, reúnem-se na segunda-feira para debater o “presente e futuro” do espaço territorial num encontro “histórico e inédito na Europa”, foi hoje anunciado.

“Este é um ato pioneiro na Europa, de aprofundamento democrático, de cooperação, de avanço do projeto eurocidade, que é uma vontade comum das duas cidades, continuar no roteiro do estreitamento de laços e partilha para máximo benefício das nossas populações e territórios”, afirmou o presidente da Câmara de Valença, Manuel Rodrigues Lopes, citado num comunicado hoje enviado à imprensa.

Na nota, a autarquia da segunda cidade do distrito de Viana do Castelo referiu tratar-se de “uma assembleia histórica e inédita na Europa que, pela primeira vez, coloca todas as forças políticas, de duas cidades, de dois países distintos, a debater o presente e futuro do seu espaço territorial constituído pela eurocidade Tui e Valença”.

A reunião vai decorrer na segunda-feira, às 20:00 (hora portuguesa), no salão nobre dos Paços do Concelho de Valença.

Segundo o município, presidido pelo social-democrata Manuel Rodrigues Lopes, o “ato inédito pretende evocar o oitavo aniversário da constituição formal da eurocidade Tui Valença”. 

Na assembleia da eurocidade participarão todos os elementos da Assembleia Municipal de Valença, bem como do órgão congénere do lado galego, contabilizando nove grupos parlamentares, com 56 eleitos das duas cidades, e será aberta à intervenção do público.

A primeira assembleia decorrerá este ano em Valença, passando a realizar-se anualmente e com caráter rotativo. 

Da ordem de trabalhos da reunião consta a proposta de troca de bandeiras para colocação em todos os atos municipais de Valença e Tui, a implementação do projeto Unicidade, bem como os desafios que se colocam à eurocidade nos próximos 10 anos.

Iniciado em outubro de 2017, o “Unicidade – Eurocidade Valença-Tui, a Unicidade”, que tem um financiamento de 513 mil euros, traçou um plano estratégico para tornar, até 2021, as duas cidades num “espaço singular”.

São pouco mais de três quilómetros que separam, à semelhança da passagem do rio Minho, as cidades de Valença e Tui, mas este projeto ibérico que integra o Programa de Cooperação INTERREG V-A Espanha-Portugal pretende agora reforçar “a cooperação e união”.

“É como se fosse uma cidade única, embora sejam dois povos e dois países distintos”, disse, em declarações à Lusa, Fernando Pereira Barros, geógrafo na Câmara Municipal de Valença e responsável pelo projeto. 

Foi com intuito de ajudar os espanhóis que trabalham em Valença (distrito de Viana do Castelo) e os portugueses que trabalham do outro lado da fronteira sobre as suas obrigações legais e noutras matérias que o projeto delineou a criação de um “balcão da eurocidade”.