CM VIANA DO CASTELO

Obras de 1,5 milhões de euros requalificam escola básica e secundária de Monte da Ola

A escola básica e secundária de Monte da Ola, em Vila Nova de Anha, Viana do Castelo, vai ser requalificada pela primeira vez em 32 anos de funcionamento, num investimento de 1,5 milhões de euros.

Em comunicado, a Câmara local adiantou hoje que, “do investimento previsto, um milhão de euros será comparticipado por fundos comunitários através do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER)”.

Situada na margem esquerda do rio Lima, a escola básica e secundária de Monte da Ola é sede de um agrupamento composto por 14 estabelecimentos de ensino, com cerca de 2.200 alunos das freguesias de São Romão do Neiva, Castelo de Neiva, Chafé, Vila Nova de Anha, Darque, Mazarefes, Vila Fria, Alvarães, Subportela, Vila Franca.

A escola que vai ser agora intervencionada tem 557 alunos distribuídos por turmas do 2.º e 3.º ciclos de ensino básico e ensino secundário.

A assinatura do acordo entre a Câmara e o Ministério da Educação está marcada para sexta-feira, pelas 14h30, com a presença anunciada do ministro Tiago Brandão Rodrigues.

Na nota enviada à imprensa, o município de Viana do Castelo destacou estarem atualmente em curso as empreitadas de requalificação da EB 2,3 e Secundária Frei Bartolomeu dos Mártires e da EB 2,3 e Secundária de Barroselas.

Em fevereiro, foi inaugurada a primeira fase da obra de requalificação da escola Frei Bartolomeu dos Mártires, estando atualmente a decorrer a segunda fase da empreitada. 

A obra, “no valor global de 5,3 milhões de euros financiados pelo programa Norte 2020, foi alvo de um acordo de colaboração entre a autarquia e a tutela para a modernização das instalações da escola, garantindo o financiamento nacional para avançar com a qualificação do equipamento de ensino”.

As obras de requalificação da EB 2,3 e Secundária de Barroselas, com 494 alunos, que visam a requalificação de 29 salas de aula, “deverão estar prontas durante o verão”. 

A empreitada “representa um investimento de 1,9 milhões de euros, investimento cofinanciado pelo programa Norte 2020, através do FEDER, que irá contribuir com um valor de cerca de 800 mil euros, sendo que a autarquia suporta a verba restante”. 

A intervenção visa “adequar a escola às atuais necessidades do ensino e aprendizagem, melhorar o conforto para os seus utilizadores e as condições ambientais e de saúde, já que está prevista a eliminação do fibrocimento, das infiltrações de água e um maior controlo da temperatura ambiente e eficiência térmica do edifício”.

Fonte: Lusa