Altominho.tv
PIXABAY

Monção rejeita instalação de linha de muito alta tensão

Monção rejeita a instalação, no concelho, de uma linha elétrica de muito alta tensão, prevista no projeto da nova interligação a 400KV Minho-Galiza, e “não irá fornecer qualquer informação necessária à aprovação do mesmo”.

Em comunicado, o município sustenta a rejeição daquele projeto com “o impacto brutal nos territórios e nas populações locais, originando diversos problemas para a saúde pública, comprovada em diferentes estudos e pesquisas efetuadas por organismos distintos e credíveis”.

“A Organização Mundial de Saúde (OMS) tem publicado vários estudos que demonstram uma relação direta do aumento de doenças do foro oncológico, depressões, aumento de stress, alterações do sono, cefaleias e crises epiléticas, em populações que residem perto ou estão sobre grande exposição aos campos eletromagnéticos criados pela Linha de Muito Alta Tensão”, reforça a autarquia liderada por António Barbosa.

Em causa está a construção de uma linha elétrica de 400 KV desde Fontefria, em território galego, até à fronteira portuguesa, com o seu prolongamento à rede elétrica nacional, no âmbito da Rede Nacional de Transporte operada pela empresa REN. Em 2015, o projeto foi “recalendarizado” para ser submetido a novos estudos.

O troço português prevê a construção desta linha através de oito dos dez concelhos do distrito de Viana do Castelo e ainda por Vila Nova de Famalicão, Barcelos (ambos do distrito de Braga), Vila do Conde e Póvoa de Varzim (do distrito do Porto).

De acordo com o Estudo de Impacto Ambiental, o troço nacional deste projeto prevê a construção de duas novas linhas duplas trifásicas de 400 KV, atravessando, potencialmente, 121 freguesias.

A proximidade desta linha aérea às casas, as consequências dos campos eletromagnéticos gerados na saúde humana ou o impacto visual de torres 75 metros com margens de segurança de 45 metros para cada lado são as principais preocupações das populações de ambos os lados da fronteira.

Em Monção, o “Projeto da Rede Nacional de Transporte de Eletricidade, Linha Ponte de Lima-Fontefria, Troço Português, a 400Kv” foi rejeitado pelo executivo camarário, no dia 17 de janeiro e pela assembleia municipal, por unanimidade, na última sexta-feira.

Além de ter recusado a “colocação terrestre de uma linha de muito alta tensão”, os órgãos autárquicos de Monção aprovaram outra proposta que prevê “não fornecer qualquer informação ou elemento necessário para a aprovação do projeto, não fazendo chegar, conforme solicitado pela REN, qualquer documentação àquela entidade pública”.

Para o município presidido por António Barbosa, “com este empreendimento elétrico, a biodiversidade do concelho ficará severamente afetada, alterando as rotas migratórias de várias espécies animais e atingindo os habitats naturais das espécies autóctones”.

“A fertilidade do espaço rural, o equilíbrio biológico e a diversidade dos recursos genéticos, serão atingidos com o projeto” lê-se na proposta aprovada.

O documento aponta ainda que a passagem da linha de muita alta tensão será “penalizadora” para a produção de vinho Alvarinho.

“Além de descaraterizar a paisagem com torres e linhas a riscar aprazíveis espaços verdejantes, colocando em causa a estratégia turística da autarquia, os monçanenses receiam que a qualidade do vinho Alvarinho, seguramente um dos melhores vinhos brancos do mundo, possa ser penalizada com aquele projeto elétrico”, reforça a proposta.

Em 2017, a Câmara de Barcelos interpôs uma ação administrativa de impugnação da declaração de impacto ambiental que viabilizou a passagem de linhas de tensão e de muito alta tensão por vários concelhos do Minho.

No Alto Minho, foram realizadas manifestações de protesto promovidas, conjuntamente, pelas populações da Galiza, preocupadas com o impacto na saúde pública.

Fonte: Lusa

Small ads

Highlight option

Turn on the "highlight" option for any widget, to get an alternative styling like this. You can change the colors for highlighted widgets in the theme options. See more examples below.

Flickr

  • dépôt
  • pots
  • le type
  • rouage
  • jicamas
  • Oh! (narrative Positions)
  • Kulisse (narrative Positions)
  • Justine Læufer / the Curve (narrative Positions)
  • Isobel / Golden Hands Gallery (Hamburg)  (narrative Positions)