Altominho.tv

Monção rejeita 11 diplomas de descentralização de competências para 2019

A assembleia municipal de Monção ratificou a proposta da maioria PSD na câmara que rejeitou os 11 diplomas de descentralização de competências para 2019, por entender “não ser possível identificar as missões a cumprir e as implicações financeiras”.

“Com o tempo e dados disponíveis, não é possível identificar e determinar, de uma forma séria e responsável, qual o guião das missões a cumprir e as implicações financeiras, humanas e organizacionais adjacentes, bem como os espaços, as vias e os equipamentos, cuja gestão pode ser transferida para as freguesias”, explica, hoje, em comunicado, o município.

A autarquia, liderada por António Barbosa, “sustenta ainda que este conjunto de circunstâncias podem colocar em causa, ou mesmo obstaculizar, a estratégia de futuro preconizada pelo atual executivo, as políticas estruturantes a desenvolver em cada domínio de atuação e os princípios de contenção de despesa pública”.

“Ao contrário da visão da Câmara de Monção, o legislador pretende passar a mensagem, a nosso ver incorreta, que os municípios devem ser pensados numa perspetiva pontual, rua a rua, infraestrutura a infraestrutura, sem a visão estruturante que devem manifestar na construção de respostas efetivas às diversas dinâmicas do concelho”, especifica a nota.

A rejeição dos 11 diplomas foi tomada pela assembleia municipal no dia 25 de janeiro, após a aprovação, no dia 17, em sessão do executivo municipal de Monção.

O executivo municipal adiantou ter aceitado a transferência, para a Comunidade Intermunicipal (CIM) do Alto Minho, das competências relativas às áreas da gestão de fundos europeus e captação investimento e promoção turística.

Aquela decisão, segundo António Barbosa, “obedeceu ao princípio de solidariedade e respeito pelas autarquias da CIM que apoiam aqueles decretos-lei”.

“No seio da CIM do Alto Minho, a maioria dos municípios apoiou a transferência de competências naquelas duas áreas”, frisou o autarca, citado na nota enviada à imprensa.

No âmbito da lei-quadro da transferência de competências para autarquias e entidades intermunicipais, já foram publicados 11 diplomas setoriais nos domínios das praias, jogos de fortuna ou azar, promoção turística, vias de comunicação, justiça, fundos europeus e captação de investimento, bombeiros voluntários, atendimento ao cidadão, habitação, património e estacionamento público.

O Governo aprovou, entretanto, os diplomas relacionados com policiamento de proximidade, proteção civil, proteção e saúde animal e segurança dos alimentos, cultura, ação social, educação, saúde, transporte em vias navegáveis interiores, áreas portuárias e áreas protegidas, que ainda aguardam promulgação.

Além destes 21 diplomas setoriais, num processo gradual de descentralização entre 2019 e 2021, altura em que as autarquias e entidades intermunicipais assumirão em definitivo as novas atribuições, falta aprovar o decreto de novas competências das freguesias.

Fonte: Lusa

Small ads

Highlight option

Turn on the "highlight" option for any widget, to get an alternative styling like this. You can change the colors for highlighted widgets in the theme options. See more examples below.

Flickr

  • dépôt
  • pots
  • le type
  • rouage
  • jicamas
  • Oh! (narrative Positions)
  • Kulisse (narrative Positions)
  • Justine Læufer / the Curve (narrative Positions)
  • Isobel / Golden Hands Gallery (Hamburg)  (narrative Positions)