Altominho.tv
OVOpt

Protesto em Viana alerta para a violência obstétrica

Dezenas de pessoas manifestaram-se hoje na Avenida dos Combatentes, em Viana do Castelo, para alertar para a violência obstétrica, exigindo uma resposta do Governo sobre o anunciado encerramento de algumas maternidades.

A manifestação foi organizada pelo Observatório de Violência Obstétrica (OVOpt), tendo exibido cartazes com palavras de ordem como “Nascer com respeito é um direito” ou “Parir num ambiente de amor diminui a minha dor”.

“Foi uma manifestação bem proveitosa com a participação de mulheres, puérperas com seus bebés, miúdos e os cidadãos que passavam e apoiavam a causa”, conta a doula Angela Macedo à Altominho TV.

“O OVOpt volta às ruas para lutar contra a indiferença com que o Ministério da Saúde, a DGS, demais decisores políticos e a Ordem dos Médicos, têm ignorado todas as reivindicações feitas pelas mulheres neste último ano – em continuidade de anos anteriores, desde 2004, data dos primeiros passos do movimento pela humanização do parto em Portugal”, pode ler-se no manifesto do OVOpt.

“O OVOpt luta por um Serviço Nacional de Saúde (SNS) de qualidade, universal e gratuito, que albergue os cuidados a todas as pessoas e, posiciona-se firmemente contra o encerramento de maternidades públicas”, avança ainda a entidade.

Hoje, a OVO convocou igualmente ações “simbólicas de solidariedade com as mulheres que sofreram Violência Obstétrica”, para as cidades de Lisboa, Bragança, Coimbra, Faro, Leiria, Porto e Viseu.