Altominho.tv

Primeira viagem de condução autónoma 5G entre Valença e Tui

A primeira viagem em Portugal de condução autónoma e conectada com 5G, em ambiente real, decorreu hoje na Ponte Internacional Valença-Tui e contou com tecnologia 5G da NOS, marcando a conclusão do projeto europeu 5G-MOBIX.

O shuttle autónomo cumpriu os testes na Ponte Internacional e nas instalações do Centro Tecnológico de Automação da Galiza, com o objetivo de demonstrar o valor do 5G na mobilidade autónoma conectada (CAM) em condições transfronteiriças.

Os resultados dos testes foram divulgados esta manhã, no Teatro Municipal de Tui, numa apresentação que contou com a presença da Vice-Presidente da Câmara Municipal de Valença, Ana Paula Xavier e do Alcalde de Tui, Enrique Cabaleiro. De seguida decorreram as demonstrações com o shuttle autónomo na Ponte Internacional.

O ‘shuttle’ (minibus) com pessoas a bordo, mas em modo de condução autónoma, atravessou hoje a ponte antiga entre Tui e Valença, tendo inclusivamente lidado com um fator inesperado, de um pedestre a atravessar a via, que não estava no plano, tendo cumprido com as normas de segurança e parado.

“Foi capaz de lidar com a situação inesperada”, sublinhou Jorge Graça, administrador executivo da NOS, referindo que “está demonstrado que é possível” a condução autónoma com 5G, portanto, agora “é quando” as empresas decidirem.

O uso corrente da condução autónoma “vai depender da vontade das empresas”, já que a “tecnologia está disponível”, sublinhou.

“Este projeto do Mobix tem um objetivo de standardização dos resultados e de tornar este tipo de tecnologia disponível para depois ser implementado pelos fabricantes de carros, fabricantes de ‘shuttles’ e depois para materializar este tipo” de casos de estudo, prosseguiu.

Nesta demonstração, o veículo ‘navegou’ entre dois operadores de telecomunicações de “forma transparente”, ou seja, do lado espanhol pela Telefónica e do lado português pela NOS, sem ter havido um vazio de comunicação, explicou.

O projeto 5G-Mobix “é um projeto da União Europeia e a NOS é o único operador que está envolvido neste projeto. Nós participamos aqui do lado português com um consórcio grande”, no qual constam parcerias com as universidades do Minho e de Aveiro, para citar alguns, e com ligação a operadores de infraestrutura também portugueses que “ajudaram a desenvolver o ‘software'”.

Para Ana Paula Xavier, Vice-Presidente da Câmara Municipal de Valença, “hoje fez-se história nesta Eurocidade e nesta Ponte com a primeira viagem de condução autónoma 5G transfronteiriça, entre Portugal e Espanha, entre Valença e Tui. Os resultados esperançadores dos testes, até hoje realizados, são uma porta aberta para o futuro das empresas, da indústria e da administração pública. No caso específico de Valença e Tui, os benefícios das tecnologias 5G permitirão uma mobilidade interurbana inteligente e sustentável.

Por outro lado, Jorge Graça destacou o “esforço grande colaborativo” entre as empresas envolvidas. Durante a demonstração, o ‘shuttle’ autónomo encontrou vários obstáculos: “Num primeiro caso, perante a obstrução do percurso, o veículo passou o controlo para o centro de controlo de tráfego, onde um técnico assumiu a condução, remotamente, usando uns óculos de realidade virtual”, de acordo com a operadora

Num outro, “um pedestre que se encontrava num ângulo morto do veículo foi detetado por um sensor instalado na ponte, que passou a informação à rede e ao ‘shuttle’, evitando a colisão”.

Toda a informação foi transmitida pela rede 5G da NOS, fazendo uso da tecnologia Nokia, em tempo real, “assegurando a velocidade, baixa latência e a fiabilidade da comunicação, essenciais para garantir a segurança e sucesso da viagem”, refere a operadora, em comunicado.

“É um orgulho enorme ver os benefícios do 5G pode trazer para a sociedade, para as empresas, a materialização da tecnologia é algo que nos enche de muito orgulho”, rematou Jorge Graça

A iniciativa 5G-MOBIX, financiada pela União Europeia (2018-2022) no âmbito do Horizonte 2020, tem como objetivo principal estabelecer a base para o desenvolvimento de corredores 5G e impulsionar o desenvolvimento de oportunidades aplicadas à Mobilidade Autónoma Conectada.

O consórcio reúne 58 parceiros de 13 países da União Europeia, bem como Turquia e Coreia do Sul, entre outros.