Altominho.tv

Segurança e ambiente são prioridades do novo capitão do porto de Viana do Castelo

O capitão-de-fragata Silva Lampreia, que hoje assumiu o comando da capitania e da Polícia Marítima (PM) de Viana do Castelo, apontou a “segurança das pessoas e com o ambiente” como as preocupações da sua comissão de serviço.

“A preocupação é a segurança das pessoas que utilizam o mar, a comunidade marítima e os bens, e [há também] uma preocupação muito cuidada com as questões ambientais, para prevenir situações de poluição marítima. Na nossa costa circula muita navegação comercial e, portanto, o risco está sempre presente”, destacou Silva Lampreia aos jornalistas, na cerimónia de tomada de posse que hoje se realizou na capitania de Viana do Castelo.

O novo capitão do porto e comandante da PM de Viana do Castelo, que substitui nas funções Sameiro Matias, referiu que as suas “expectativas” profissionais “são altas” por se tratar “de uma região interessante e com uma área muito abrangente”.

“A área sob jurisdição da capitania [desde Viana do Castelo, no Alto Minho, até ao concelho de Esposende, no distrito de Braga] abrange todo o tipo de atividades marítimas que contribuem para a economia do mar. É um desafio muito grande que tenho pela frente, desde o ponto de vista administrativo ao policial. Vou abraçá-lo com todo o gosto e toda a energia nos próximos três anos”, garantiu.

Questionado pelos jornalistas sobre o objetivo desta comissão de serviço em Viana do Castelo, afirmou serem dois: “cumprir bem a missão e ser feliz em Viana do Castelo”, cidade que “apenas conhecia de passagem”.

O capitão-de-fragata Silva Lampreia é doutorado em Relações Internacionais, em estudos sobre Segurança e Estratégia, pela Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa.

É mestre em Ciências Militares – Segurança e Defesa, pelo Instituto Universitário Militar, especializado em Hidrografia/Oceanografia, pelo Instituto Hidrográfico, e licenciado em Ciências Militares Navais, pela Escola Naval. 

Ao longo da sua carreira prestou serviços de chefia e de comando em diversas unidades da Marinha e Autoridade Marítima Nacional, como o Instituto Hidrográfico, Comando Naval, Instituto Universitário Militar, Estado-Maior da Armada e capitania do porto de Leixões. 

Também comandou o navio hidrográfico “Auriga” e a corveta “João Coutinho”.