Altominho.tv

Candidato do Chega à Câmara de Monção quer até dois lugares no executivo

Artur Dias Trindade, de 53 anos, vai concorrer pelo Chega à Câmara de Monção, no distrito de Viana do Castelo, e aponta a conquista de até dois lugares no executivo municipal como um “bom resultado” para o partido.


“As expectativas para estas eleições são de conseguir um bom resultado para nós, o que seria colocar um ou dois vereadores na Câmara e outros dois elementos na Assembleia Municipal de Monção. Estamos cheios de força anímica nestas primeiras eleições e, nesse sentido, apostamos todas as fichas”, afirmou hoje à agência Lusa Artur Dias Trindade.


Natural de Luanda, em Angola, e a residir há 11 anos na freguesia de Lapela, em Monção, explicou ter aceitado o convite para entrar na corrida às eleições autárquicas “pelas pessoas e pela melhoria das suas condições de vida em todas as vertentes”.


Uma das principais propostas da candidatura de Artur Dias Trindade diz respeito “à falta de um hospital capaz de dar assistência médica rápida, eficaz e completa à população cada vez mais envelhecida não só em Monção como nos concelhos vizinhos de Melgaço e Valença”.


“Em casos graves os doentes têm que de ser transportados pelo INEM ao hospital de Viana do Castelo e esse tempo pode ser fatal. É preciso também criar mais unidades de apoio de cuidados continuados e a apostar na formação de trabalhadores para responder às necessidades das Instituições Particulares de Solidariedade Social (IPSS)”, especificou.


Vice-presidente da Distrital de Viana do Castelo do Chega, o candidato à Câmara de Monção defendeu ainda a requalificação da Estrada Nacional (EN) 101, no troço que liga o concelho a Valença, “tornando-a mais segura e rápida e, dentro do possível, torná-la uma via rápida”.


“Se esse projeto fosse possível, em parceria com outros concelhos vizinhos, deveria fosse alargado desde Melgaço até à entrada do túnel da autoestrada 28 (A28)”, referiu o técnico de eletrónica e informática, estudante finalista na licenciatura de engenharia eletrónica e redes de computadores.


A prevenção de incêndios florestais em “Monção, Melgaço e Valença, que são devastados por fogos e onde pouco tem sido feito para o evitar e reflorestar as áreas ardidas, reforçar as telecomunicações móveis, sendo um concelho com uma geografia irregular onde existem muitas aldeias e zonas com falta de cobertura capaz de telecomunicações móveis”, são outras das prioridades do candidato do Chega.


Artur Dias Trindade defende ainda a atração “de investimento para o desenvolvimento de polos industriais, aumentando postos de trabalho e criando condições para fixar população no concelho, projetar o turismo local e as tradições culturais e continuar a promover os produtos agrícolas e a sua produção, como o vinho verde Alvarinho, integram a lista de propostas do Chega para Monção.


A Câmara de Monção é atualmente constituída por quatros membros do PSD e três do PS.


Segundo a lei, as eleições autárquicas decorrem entre setembro e outubro, mas ainda não têm data marcada.