Altominho.tv

Mais de 400 jovens do Alto Minho aprendem Canto ao Desafio

Mais de 400 jovens do distrito de Viana do Castelo tiveram a oportunidade de aprender as principais características do Canto ao Desafio, um dos ícones do património cultural imaterial do Alto Minho.

Em comunicado, a Comunidade Intermunicipal (CIM) do Alto Minho adianta que, desde dezembro de 2020, um conjunto de repentistas, liderado pelo cantador Augusto Canário, realizou 58 ações de capacitação junto das comunidades escolares e culturais dos 10 concelhos da região.

“O objetivo passa por captar e dar palco aos melhores talentos neste género musical. Neste momento, são já perto de 200 os jovens estudantes que se encontram envolvidos na produção de quadras e que pretendem mostrar o que valem na Desgarrada”, referem.

A iniciativa integra-se no projeto “De Repente, Canta a Gente”, um “programa inédito de captação de talentos” promovido pela CIM Alto Minho e cofinanciado pelo Norte 2020 – Programa Operacional Regional do Norte, que envolve os 10 municípios do Alto Minho e que “pretende divulgar e ensinar aos jovens da região esta forma de canto tradicional”.

“Esta é uma iniciativa que visa tirar partido daquilo que é um património de todos e que está presente na cultura, nas festas e a na identidade deste território”, explica o presidente da CIM Alto Minho, citado na nota enviada à imprensa.

Segundo José Maria Costa, o projeto pretende “envolver os jovens, em idade escolar, nesta forma de canto popular e tradicional, ensinar os seus mecanismos, cativá-los para a sua prática e fruição, bem como renovar geracionalmente os seus cantadores, mantendo a desgarrada bem viva e presente”.

“As ações de capacitação chegaram ao fim e o projeto está em velocidade cruzeiro. Temos encontrado gente maravilhosa e vivido experiências fantásticas com jovens dos 5º e 6º anos. Tem sido incrível sentir o entusiasmo desta juventude perante a possibilidade de juntar ritmos, sons e ondas, com algo tão tradicional, mas que também pode ser moderno e representar o futuro”, afirma Augusto Canário, também citado naquela nota.

Para o repentista, “esta iniciativa está a mostrar que a inovação se pode criar ao juntar o antigo a novas ondas, outros sons e modernidades, como foi o caso da parceria fantástica que foi feita com o DJ FreakJ” e com a beatboxer Bia, que será publicada brevemente.

O projeto, que decorre entre dezembro de 2020 e novembro de 2021, tem como principal alvo as comunidades escolares e culturais e o seu programa foi ajustado às diretivas da Direção-Geral da Saúde em contexto de pandemia. Num total de 58 ações de capacitação, 21 foram online e 37 ocorreram em formato presencial.

O produtor do evento, David Martins, explica que “os cantares ao desafio foram, até agora, algo aprendido por tradição oral, em processos informais”. “O traço inovador deste projeto reside na primeira tentativa a nível nacional de sistematização da técnica da Desgarrada, a produção de um currículo, e o desenvolvimento de ferramentas pedagógicas que estão a permitir que possa ser ensinada em duas vertentes: no site, com dezenas de vídeos e áudios tutoriais, tendo ainda os jovens a possibilidade de enviarem as suas cantorias para análise e acompanhamento pedagógico; e nas ações de capacitação que realizamos em escolas, associações culturais e coletividades do Alto Minho”, acrescenta.

No site do projeto estão disponíveis dezenas de vídeos e áudios tutoriais, existindo a possibilidade dos jovens candidatos a cantadores enviarem, naquela plataforma, as suas rimas e cantorias para apreciação e orientação pela equipa técnica.

A iniciativa prevê ainda um conjunto de 10 concertos pelos concelhos do Alto Minho, entre os meses de setembro e novembro, onde “consagrados repentistas irão contracenar com os novos talentos captados pelo projeto”.

No dia 27 de novembro, terão lugar uma conferência e um concerto final, ambos no Centro Cultural de Viana do Castelo, que reunirão um conjunto alargado de cantadores e especialistas em repentismo oriundos de várias regiões do país.