Altominho.tv

Autarquia assinala Centenário do Edifício dos Paços do Concelho com cerimónia simbólica

Porque toda a História é alicerçada em contextos excecionais, a Câmara Municipal de Vila Nova de Cerveira não podia deixar de comemorar os 100 anos do edifício dos Paços do Concelho, inaugurado a 9 de abril de 1921, por ser um exemplo do genuíno e acérrimo sentido de comunidade dos Cerveirenses. Apesar da pandemia Covid-19, esta efeméride é assinalada, esta sexta-feira, com uma cerimónia simbólica e restrita, e que também marca o arranque da vasta programação alusiva aos 700 anos da Fundação de Vila Nova de Cerveira (1 de outubro de 1321).

2021 apresenta-se como um ano verdadeiramente histórico para Vila Nova de Cerveira, pelo que a autarquia definiu uma programação alargada por seis meses, de forma a fazer coincidir duas datas: o primeiro centenário do edifício dos Paços do Concelho e os sete séculos da atribuição do foral a Vila Nova de Cerveira pelo Rei D. Dinis. Dando cumprimento às diretrizes emanadas pela Direção Geral de Saúde, a cerimónia prevista para esta sexta-feira inicia às 09h30, com o ato de hastear das bandeiras acompanhado pela Academia de Música Fernandes Fão e com Guarda de Honra dos Bombeiros Voluntários de Vila Nova de Cerveira, seguindo-se um recital de poesia nas varandas do Salão Nobre, com as poetisas cerveirenses Maria José Areal e Adelaide Graça.

Pela singular importância, este momento ficará gravado na memória futura com o descerramento da placa comemorativa ao centenário e, como a 9 de abril, também se assinala o Dia do Soldado Desconhecido, consta do programa a colocação ode uma coroa de flores n’ A Memória, monumento alusivo à Guerra Peninsular, assim como alargar esta homenagem aos militares mortos durante a Guerra Colonial (1961-1974), com ato idêntico no monumento erguido na Avenida Heróis do Ultramar.


A cerimónia culmina com uma restrita e curta sessão solene no Cineteatro de Cerveira, na qual será projetado um breve documentário e apresentado o livro “Paços do Concelho de Vila Nova de Cerveira – 100 anos de serviço público”, com o intuito de registar o contexto que levou os antepassados Cerveirenses a lutar pela necessidade de construção de um novo edifício para acolhe os serviços públicos, deixando material para memória futura.
Ex-libris de Vila Nova de Cerveira e da identidade cerveirense, o Castelo de Cerveira acolheu, ao longo dos séculos, vários serviços jurídicos, religiosos, militares, e a própria Câmara Municipal funcionou, durante largos anos, num edifício no interior das muralhas, onde ainda hoje permanece o icónico Pelourinho, símbolo de jurisdição municipal.


Mas, o evoluir dos tempos e as exigências da sociedade obrigaram a repensar um novo edifício para servir de Paços do Concelho, e os primeiros sinais datam de 1908, com o assunto a ser levantado em reunião de câmara. Em apenas um ano, o projeto da autoria do arquiteto Carlos Fernandes Leituga foi aprovado por unanimidade. No entanto, a história revela que o processo de edificação foi longo e com alguns contratempos, desde logo financeiros e burocráticos, mas sobejamente resolvidos com pronta resposta de beneméritos cerveirenses. O início da construção do edifício remonta a janeiro de 1916,
tendo sido inaugurado a 9 de abril de 1921.