Altominho.tv

Câmara de Vila Verde questionou o primeiro-ministro sobre o “ponto de situação” da EN 101 que liga o concelho a Ponte da Barca

A câmara de Vila Verde questionou o primeiro-ministro sobre o “ponto de situação” da requalificação da Estrada Nacional 101 (EN 101), que liga o concelho a Ponte da Barca, alertando que a segurança naquele troço não se resolve com “medidas avulsas”.

O pedido de esclarecimentos sobre a referida obra consta de uma carta que o município enviou ao primeiro-ministro, segundo refere hoje a autarquia no seu sítio na Internet, depois de o Concelho de Ministros ter decidido implantar um sistema de controlo de velocidade através de radares na EN 101, medida sobre a qual a autarquia salienta não ter sido consultada.

Na missiva, refere a publicação, a autarquia daquele concelho no distrito de Braga solicitou ao primeiro-ministro, António Costa, “que informe sobre o ponto da situação relativo à concretização das obras de requalificação da EN 101 entre Vila Verde e a Ponta da Barca, bem como do andamento do processo relacionado com a construção da Variante à EN 101″.

Além do “ponto da situação” daquela obra, a câmara de Vila Verde quer saber se a instalação daqueles equipamentos, “que visam o reforço da segurança naquela via, se enquadra no projeto de requalificação” reclamado pelo município.

“O município de Vila Verde, não obstante concordar com todas as medidas que possam ser tomadas no sentido de salvaguardar a segurança rodoviária na EN 101, estranha nunca ter sido ouvido sobre a matéria e entende que este objetivo não se alcança com medidas avulsas”, lê-se.

A autarquia esclarece que “não pode deixar de reclamar aquelas que constituem as ações essenciais para garantir a melhoria de circulação e das condições de segurança nesta infraestrutura da rede viária nacional que atravessa o concelho e que se encontra, hoje, como é do conhecimento de todos, absolutamente saturada”.

No texto, o município refere que “só a concretização da prometida requalificação da EN 101, melhorando o traçado da via, criando zonas de circulação pedonal e reforçando a respetiva sinalização, bem como a construção da há muito reclamada variante à EN 101 no concelho, lograrão alcançar os anseios de todos os vilaverdenses, das empresas e de todos os utentes, no sentido de serem servidos por infraestruturas rodoviárias que garantam um efetivo descongestionamento do tráfego que atravessa a sede do concelho, bem como uma circulação com maior conforto e segurança que permita o desenvolvimento do tecido empresarial local e regional”.

Na carta a António Costa, o vice-presidente da Câmara de Vila Verde, que assina a missiva, dá conta que a EN 101 levanta problemas ao concelho.

“De facto, a resolução dos graves problemas de circulação automóvel e de segurança rodoviárias em Vila Verde, devido ao elevado nível de saturação da EN 101, é hoje fonte de grande preocupação dos cidadãos e agentes económicos, pelo que urge dar seguimento aos processos relativos à requalificação desta Estrada Nacional e avançar com a construção de uma Variante que responda definitivamente às necessidades de modernização da rede viária intermunicipal, sem os quais está comprometido o desenvolvimento local e nacional”, escreveu.

No final de julho, o Conselho de Ministros aprovou o aumento da capacidade do Programa Nacional de Controlo de Velocidade (SINCRO), que prevê um concurso público ainda este ano para a aquisição dos 30 novos radares.

O alargamento do programa prevê 50 novos locais de controlo de velocidade (LVC), aumentando a capacidade dos atuais 60 para 110 LCV.

Entre os locais identificados como prioritários para a instalação dos novos radares estão pontos em estradas nacionais em Palmela, Vila Franca de Xira, Vila Verde ou Penafiel, entre outros, mas também dois itinerários complementares, o IC19, que liga Sintra a Lisboa, e o IC8, na Sertã.