Altominho.tv

Viana dá quase 30 mil euros para novo aparelho para a maternidade

O presidente da Câmara de Viana do Castelo entregou à diretora da maternidade do hospital de Santa Luzia, um cheque de quase 30 mil euros para a aquisição de uma nova central de cardio-ecotomografia.

“Não é um esforço da Câmara Municipal. É uma dádiva dos Vianenses”, afirmou José Maria Costa, referindo-se ao montante que entregou e que resultou da receita de bilheteira de um concerto, em outubro, de Pedro Abrunhosa, no centro cultural da cidade, que a autarquia decidiu reverter para a compra daquele equipamento.

“A Câmara só contribuiu com uma verba pequena que faltava para comprar o aparelho que tem um nome esquisito” disse o autarca socialista que destacou a “envolvimento de toda a comunidade para garantir o equipamento a um serviço importante para todo o Alto Minho”.

A maternidade de Viana do Castelo começou a funcionar em 1968. Este ano está a promover 50 eventos para assinalar as bodas de ouro.

Aquela unidade está situada no hospital de Santa Luzia, gerido pela Unidade Local de Saúde do Alto Minho (ULSAM), que integra ainda o hospital Conde de Bertiandos, em Ponte de Lima, 12 centros de saúde, uma unidade de saúde pública e duas de convalescença.

A ULSAM serve uma população residente superior a 244 mil pessoas, contando com 2.500 profissionais, entre os quais 501 médicos e 892 enfermeiros.

O autarca afirmou que a Câmara “está disponível” para ser parceira da maternidade num “esforço” coletivo para assegurar o funcionamento da maternidade, onde, por ano, nascem cerca de 1.600 bebés de todo o distrito de Viana do Castelo.

José Maria Costa adiantou ser “um adepto” da descentralização de competências na área da saúde.

“A descentralização não é boa para os municípios, mas é boa para os cidadãos e se é boa para os cidadãos é boa para o país. É um esforço acrescido que temos de fazer. Se podemos fazer melhor com os mesmos recursos, ou com menos um pouco, devemos todos fazer esse esforço para que o acesso dos cidadãos aos serviços públicos de atendimento seja mais eficaz”, reforçou.

O presidente do conselho de Administração da Unidade Local de Saúde do Alto Minho (ULSAM), Frankelin Ramos revelou que aquele serviço vai ser dotado de um novo ecógrafo digital tridimensional, no valor de 60 mil euros.

“O processo de aquisição está muito avançado. O concurso público deverá ficar concluído até final do ano”, afirmou o responsável.
Frankelin Ramos adiantou estar a ser desenvolvido o projeto do novo bloco cirúrgico de partos e a reafetação de todo espaço envolvente, num investimento de “vulto”, estimado em cerca de 800 mil euros.

A diretora daquele serviço, Paula Pinheiro, agradeceu o apoio da comunidade local a quem a associação dos Amigos da Maternidade de Viana do Castelo, criada em 2014, lançou um apelo à solidariedade para fazer à falta de recursos matérias para a aquisição do novo aparelho.

“Decidimos apelar à comunidade e fomos surpreendidos com algumas respostas solidárias e uma delas foi a da Câmara Municipal de Viana do Castelo. O município tem sido um verdadeiro amigo da maternidade do Alto Minho”, destacou.

O presidente da Administração Regional de Saúde do Norte (ARS-Norte), Pimenta Marinho disse que “a ligação entre saúde e as autarquias, sobretudo com um governo que tem defendido a descentralização, é muito importante”.

“É muito importante a cooperação da Câmara com a maternidade. Este é um exemplo extraordinário de cooperação”, referiu.

Redes Sociais

Mais de 50.000 pessoas acompanham a Altominho.tv nas principais redes sociais. Junte-se à nossa comunidade no Facebook, Twitter, Youtube e Instagram.
Acompanhe-nos nesta viagem pelo Alto Minho!