Altominho.tv

II Fórum do Rio Minho Transfronteiriço realiza-se a 29 de novembro

O segundo Fórum do Rio Minho Transfronteiriço que vai ultimar ‘Estratégia do Rio Minho 2030’, cuja apresentação está prevista para janeiro de 2019, está agendado para o dia 29 de novembro, no Auditório de Goián, em Tomiño, com início pelas 10h30. 

Segundo o diretor do AECT Rio Minho, Uxío Benítez, desde os finais de 2017, e como ação principal do projeto Smart Minho, a elaboração da `Estratégia Rio Minho Transfronteiriço 2030´ é uma prioridade, sendo um documento guia “que marcará as linhas de atuação da cooperação entre o sul da província de Pontevedra e o Norte de Portugal durante a próxima década”.

O responsável, que falava esta terça-feira na apresentação do II Fórum do Rio Minho Transfronteiriço, adiantou que a criação da estratégia envolveu a realização de “um estudo profundo do território, desde o ponto de vista económico, social e político, no qual participam os principais atores galego-portugueses de cada um destes setores com um elevado grau de envolvimento de todos eles”, acrescentando que “este II Fórum supõe o culminar de um trabalho inovador”.

Para o presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Cerveira e vice-diretor da AECT Rio Minho, “o I Fórum foi um êxito de participação pública, com um diagnóstico oportuno para a região transfronteiriça, pelo que esta segunda edição vai permitir aprimorar a estratégia, de forma a ficarmos munidos de um instrumento com orientação própria, mas também para apresentar os nossos interesses e reivindicações à União Europeia”.

Fernando Nogueira realçou que “a cooperação transfronteiriça está nos planos, pelo menos teóricos, dos Governos de Portugal e Espanha e, com a elaboração deste documento ‘Estratégia Rio Minho 2030’, pretende-se contribuir para avançar para a prática, pois somos nós que melhor conhecemos este território transfronteiriço e temos a responsabilidade de definir uma estratégia adequada que sirva para colmatar as necessitadas sentidas”.

“O objetivo principal é transformar estas duas regiões periféricas, numa única e central. Temos excelentes condições para sermos um território comum, quando naturalmente já o é, mas há que ultrapassar barreiras burocráticas sentidas na educação, na saúde, na gestão do rio Minho, entre outras. E só com uma atuação ‘supra’ é que podem ser superadas”, apontou.

O diretor da Fundação Centro de Estudos Euro Regionais, Valerià Paül, anunciou ainda que foi recolhida perto de uma centena de propostas que integraram o ‘Plano de Ação do Rio Minho Transfronteiriço 2030’”.

Perante a coordenação do AECT Rio Minho, uma equipa de experts das seis universidades públicas do Norte de Portugal e Galiza lideraram este trabalho, após decorridos 10 encontros bilaterais entre concelhos galegos e câmaras municipais portuguesas, além de inúmeras reuniões de trabalho com a participação de diferentes governos locais.

A Estratégia de Cooperação Inteligente do Rio Minho Transfronteiriço enquadra-se no projeto Smart Minho através do Programa Operativo de Cooperação Transfronteiriça Espanha-Portugal 2014-2020 (INTERREG V-A) e está cofinanciado em 75% por fundos FEDER, com um orçamento total de 942.022,47 euros.

Redes Sociais

Mais de 50.000 pessoas acompanham a Altominho.tv nas principais redes sociais. Junte-se à nossa comunidade no Facebook, Twitter, Youtube e Instagram.
Acompanhe-nos nesta viagem pelo Alto Minho!