Altominho.tv

‘Aulas práticas’ sobre reflorestação prolongam-se até ao final do ano letivo

“Há aqui um buraco, preciso de uma árvore”. Tudo era novidade, o espaço, as pessoas e a própria atividade, mas o entusiasmo era o habitual de uma criança. Com o apoio da Proteção Civil Municipal e dos Sapadores Florestais, as crianças do ensino pré-escolar e 1º ciclo do Centro Escolar de Covas – Agrupamento de Escolas do concelho foram as primeiras a participar nesta iniciativa que se prolonga até ao 3º período (já que depende das condições climatéricas).

A pretensão é que as crianças não só aprendam a plantar uma árvore, mas efetivamente o façam. E assim foi na quarta-feira: à medida que mãos e pés empurravam a terra para tapar e segurar a planta, os presentes trocavam alguns conselhos de como atos simples e responsáveis contribuem para a preservação da floresta.

No final da atividade, serão plantadas cerca de 3000 árvores de espécies autóctones menos inflamáveis – pinheiro, carvalho americano, carvalho escarlate, amieiro, plátano bastardo e camaciparis -, numa zona previamente identificada na União de Freguesias de Candemil e Gondar, criando uma zona de ancoragem (tampão) contra os incêndios florestais.

A acompanhar a atividade neste primeiro dia, o autarca cerveirense explicou que esta ação de sensibilização visa incutir a aprendizagem de conceitos de âmbito florestal e o papel de cada um, procurando que a mensagem possa também ser transmitida aos encarregados de educação. No final, Fernando Nogueira lançou o desafio: “Para o ano têm de pedir aos pais para visitarem este local e verem o desenvolvimento deste vosso maravilhoso trabalho”. A resposta não poderia ser melhor: “Siiiiiim”!