Altominho.tv

Esperados “milhares” de romeiros no final de ano em aldeia de Viana do Castelo

A aldeia de Cardielos, em Viana do Castelo, espera “milhares” de visitantes na romaria que encerra, nos três últimos dias do ano, o ciclo festivo do concelho, estimou hoje a Confraria de São Silvestre e São Tiago.

“A romaria é celebrada, sempre, nos dias 30 e 31 de dezembro mas, este ano, como 29 é uma sexta-feira temos mais um dia de festa. Nos três dias esperamos milhares de pessoas para beberem o nosso vinho quente”, disse hoje à Lusa o juiz da confraria, Henrique Parente.

O responsável explicou que a tradição, “muito antiga”, manda que “os romeiros visitem o santuário de São Silvestre, santo a quem é atribuído o poder protetor dos animais, sobretudo bovinos”.

“Antigamente havia mais gado. Os agricultores subiam o monte para recomendar os animais a São Silvestre, levando-os a dar voltas ao redor da capela e a receber a bênção. Agora há poucos animais mas a romaria continua a chamar muita gente. No ano passado tivemos que mandar gente embora por falta de espaço no recinto”, explicou Henrique Parente.

Segundo o ‘site’ Alto Minho, sobre as tradições da região, diz a lenda que São Silvestre, “empenhado em cristianizar as almas dos habitantes da margem direita do rio Lima, colocou-se na outra margem, no alto do Castro de Roques, onde existe um penedo com a marca a que chamam as pegadas do Santo, e atirou com o cajado, com a promessa de construir uma capela onde este caísse”.

“Tanta força comunicou ao arremesso do báculo que este foi cair no alto do monte. São Silvestre presidiu, então, às obras da construção da capela, sentado no alto de um penedo gasto pela erosão a que, ainda hoje, se teima em apelidar de cadeira do Santo.

A romaria ancestral celebrada na aldeia de Cardielos, atualmente integrada na União de Freguesias de Cardielos e Serreleis, é organizada pela confraria, responsável pela manutenção do santuário e da envolvente, onde, ao longo dos anos foram sendo criadas infraestruturas e espaços de lazer.

Do monte de São Silvestre, situado a mais de 700 metros de altitude, avista-se o rio Lima, a sua foz e a cidade de Viana do Castelo.

A romaria, típica pelo cabrito à moda São Silvestre, servido em tasquinhas montadas pela confraria e pelo vinho quente, tem ainda nas concertinas e nos cantares ao desafio, outros dos pontos altos, não faltando os grupos de bombos.

“Formam-se grupos espontâneos, a tocar concertina e a cantar ao desafio, noite dentro. Esse espírito de festa levou-nos este ano a apostar no Sons do Minho, um grupo de música tradicional e popular, muito conhecido pelas desgarradas. Estamos confiantes que vai atrair muita gente a São Silvestre”, disse Henrique Parente.

O programa da romaria de São Silvestre começa no dia 29, a partir das 18:00, e encerra a 31 com a eucaristia e a procissão e bênção dos animais.

Siga-nos

Escolha a Rede Social que preferir e siga-nos!