Altominho.tv

Plano conjunto da euro-região Norte de Portugal – Galiza prioriza infraestruturas

O presidente da Xunta de Galicia identificou hoje quatro investimentos infraestruturais prioritários no âmbito do Plano de Investimentos conjunto da euro-região Norte de Portugal – Galiza, tendo destacado a ligação de alta velocidade Porto-Vigo como fundamental.

“É fundamental para a Galiza, é fundamental para a euro-região passar de uma ligação de 02:20 para uma ligação de 00:55”, afirmou.

Alberto Núñez Feijóo reuniu-se hoje, em Santiago de Compostela, com o presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte, com o objetivo de reativar a cooperação entre o Norte de Portugal e a Galiza.

No final do encontro, o autarca referiu que no âmbito do Plano de Investimentos Conjuntos da euro região para o período 2021-2027, hoje discutido, foram identificados quatro projetos prioritários no que diz respeito às ligações rodoviárias e ferroviárias entre as duas regiões.

Alberto Núñez Feijóo considera que é essencial manter as ligações em ferrocarril já existentes entre a Galiza e o Porto, mas reconhece, no entanto, que “a estrela” é a ligação de alta velocidade Porto-Vigo.

“O facto de Portugal já o ter incluído e aprovado no âmbito do Plano Nacional de Investimento é sem dúvida um apoio para as propostas da Junta da Galiza no que se refere ao Eixo Atlântico, mais concretamente no Corredor Atlântico onde a grande infraestrutura é a ligação de Vigo, como estação de passagem, à fronteira portuguesa”, disse, saudando a decisão do Governo português na Cimeira Ibérica de priorizar esta ligação.

Em outubro, na apresentação do Programa Nacional de Investimentos (PNI) 2030, o ministro das Infraestruturas, Pedro Nuno Santos, disse que as metas para a ferrovia centram-se, entre outras, na criação de uma nova linha Porto-Vigo (Espanha) com duração de uma hora, bem como a eletrificação da rede até 2030.

A nova linha que vai ligar aquela duas cidade representa um investimento para Portugal de 900 milhões de euros, e 578 milhões de euros do lado Espanhol, para um total de 21 quilómetros, revelou hoje Alberto Núñez Feijóo.

O novo corredor ferroviário Atlântico depende da construção de uma nova linha Lisboa-Porto, e de uma ligação entre Porto e Vigo, num investimento total de 5,4 mil milhões de euros ao longo dos próximos dez anos. Os novos troços serão construídos em bitola ibérica, mas terão travessas polivalentes para eventual mudança para a norma europeia.

Entre as prioridades de investimento no contexto da euro-região, o autarca destacou ainda a reabilitação da ponte internacional entre Salvaterra do Minho (Espanha) e Monção que prevê a ampliação da plataforma para modo a incluir uma ciclovia e a melhorar a ligação diárias entre as duas localidades.

O presidente da Xunta da Galiza indicou ainda como prioridade o melhoramento da estrada que faz a ligação entre Celanova (Ourense-Espanha) à fronteira portuguesa, projeto que está a ser elaborado e que implica um investimento na ordem dos nove milhões de euros.

Por último, o autarca defendeu uma ligação por autoestrada entre a estação de Gudiña e Portugal.

“Isto supõe para todo o interior de Portugal uma acessibilidade aos comboios de alta velocidade, tanto para ligar a Ourense, Santiago, Pontevedra e Vigo ou para ligar Ourense, Zamora, Valladolid, Madrid”, salientou.