Altominho.tv

Viana do Castelo agiliza testes para Proteção Civil e espaços para confinamento

O presidente da Câmara de Viana do Castelo vai “agilizar” testes à Covid-19 para agentes da proteção civil e procurar espaços de confinamento na sequência da inclusão do concelho no mapa de risco da pandemia.

Em comunicado, a autarquia adiantou que a decisão foi tomada em reunião da comissão municipal de proteção civil. Aquela estrutura reuniu-se “para analisar as medidas anunciadas pelo Governo com a renovação do estado de calamidade em todo o território e com a inclusão de Viana do Castelo nos concelhos abrangidos pelas novas medidas”.

Viana do Castelo integra a lista nacional de 121 concelhos abrangidos, a partir de quarta-feira, pelo dever cívico de recolhimento domiciliário, novos horários nos estabelecimentos e teletrabalho obrigatório, salvo “oposição fundamentada” pelo trabalhador, devido à Covid-19.

Além de “agilizar a priorização de testes aos agentes da proteção civil”,  José Maria Costa foi “incumbido” de “procurar espaços de confinamento mais pequenos do que o centro cultural para acudir a situações de emergência”.

“Espaços de isolamento adequados para os profissionais das áreas da proteção civil ou outros que não tenham condições quer por motivos profissionais, quer por motivos familiares”, especifica a nota.

José Maria Costa terá também de “agilizar, através de um protocolo com a Cruz Vermelha Portuguesa, a realização de testes rápidos de despiste para situações que tenham a ver com as forças operacionais de proteção civil municipal”.

Na reunião da comissão municipal de proteção civil, “outra das preocupações apontadas prende-se com a necessidade da gestão dos recursos humanos ter de ser adequada e inteligente, atendendo às dificuldades de encontrar meios ou recursos humanos suficientes com a agudização da pandemia”.

No encontro hoje realizado “foram ouvidos os diferentes intervenientes nas áreas da saúde, Delegação de Saúde e Unidade Local de Saúde do Alto Minho (ULSAM), Segurança Social, forças de segurança e o Comandante Operacional do Distrito (CODIS)”.

“Os serviços de saúde deram conta dos constrangimentos existentes, referenciando os planos de contingência que estão a ser ativados para fazer face ao incremento do número de doentes Covid-19, bem como no atendimento de utentes com doenças crónicas, tendo para isso sido aumentado o número de camas em enfermaria”, refere o documento.