Altominho.tv

Rede Complementar de Apoio à população de Caminha já fez 377 entregas ao domicílio

A Rede Complementar de Apoio à população do concelho de Caminha, criada em março para fazer face à pandemia, já efetuou 377 entregas de bens essenciais.

A iniciativa da Câmara de Caminha tem como objetivo “satisfazer pedidos de munícipes que, por serem pessoas com riscos de saúde acrescidos ou por manterem o recato que a situação exige, não podem ou não querem deslocar-se ao exterior para adquirir bens considerados fundamentais na gestão quotidiana”.

Segundo o presidente da Câmara, a estrutura ainda em funcionamento conseguiu “corresponder às dificuldades que o confinamento obrigatório criou nas populações”. “Desde os primeiros dias de maio, logo a seguir aos 45 dias de Estado de Emergência que levou muitos portugueses para casa, a Rede Complementar de Apoio fez 137 entregas ao domicílio em todas as freguesias do concelho de Caminha. E vai continuar a fazê-lo”, afirma Miguel Alves, citado no comunicado enviado à imprensa.

De acordo com os registos efetuados pelo município, os bens mais pedidos pela população são os géneros alimentares e os medicamentos, mas também há outros serviços prestados, desde entregas de botijas de gás ou fraldas para bebé até aos carregamentos de telemóveis a pessoas mais idosas e cintas pós-operatório.

“Servimos as pessoas, casa a casa, e esse é o nosso maior prémio, mas sentimos que a situação se agrava, que o número de infeções aumenta e que as pessoas tendem a ficar mais em casa. Vamos ter que nos preparar para incrementar o nosso serviço, até porque não sabemos exatamente o que aí vem. Temos que estar preparados e preferimos trabalhar em prevenção do que correr atrás do prejuízo”, sustenta o autarca.

A Rede Complementar de Apoio dirige-se a toda a população do concelho de Caminha. No caso da pessoa apresentar, de forma comprovada, dificuldades económicas, o município assume a despesa em parte ou no seu todo.