Altominho.tv

Hospital de retaguarda criado em seminário de Viana

A Liga dos Amigos do Hospital de Santa Luzia (LAHV), em Viana do Castelo, informou que em colaboração com a diocese vai criar, no seminário local, um hospital de retaguarda para responder à pandemia de Covid-19.

“Em resposta a uma proposta da Liga dos Amigos, a Diocese de Viana do Castelo disponibilizou as instalações do seminário diocesano para acolher doentes na eventual sobrecarga do hospital de Santa Luzia, durante a atual fase de mitigação da epidemia de coronavírus”, explicou à Lusa o presidente da LAHV, Defensor Moura.

O médico especialista em medicina interna, já reformado, antigo presidente da Câmara de Viana do Castelo e fundador da Liga, acrescentou que a iniciativa tem o aval do presidente do conselho de administração da Unidade Local de Saúde do Alto Minho (ULSAM).

A coordenar a operação, a partir de casa onde se encontra a cumprir confinamento domiciliário, por já ter 75 anos de idade, Defensor Moura, adiantou estar “a constituir a equipa pluridisciplinar que assumirá a preparação do pavilhão do seminário, criando as condições necessárias para acolher, adequadamente, os doentes que venham a precisar deste apoio de retaguarda”.

O médico explicou que “depois do substancial contributo financeiro doado à LAHV, para aquisição de materiais e equipamentos a oferecer ao hospital, fruto das contribuições dos sacerdotes na campanha de angariação de fundos, a Diocese decidiu alargar a sua participação ao esforço coletivo para tratar as vítimas da epidemia”.

Na terça-feira, o departamento diocesano da pastoral da saúde de Viana do Castelo informou do início, em articulação com LAHV, de uma campanha de angariação de fundos junto dos sacerdotes do distrito de Viana do Castelo.

De acordo com a informação que constava, esta sexta-feira, cerca das 10h00, na página oficial da diocese na Internet, foram recolhidos 23.330 euros em donativos.

O dinheiro reverterá para a campanha, iniciada na semana passada, pela LAHV com vista a ajudar a ULSAM na aquisição de dez ventiladores.

A Liga, formalmente constituída em 1981, tem na promoção da dádiva de sangue e no apoio direto aos doentes as suas principais áreas de atividade.

No início da semana, a Lusa questionou a ULSAM sobre eventuais faltas de material e sobre a previsão de chegada dos 10 ventiladores encomendados pela administração, mas ainda não obteve resposta.