Altominho.tv

“Gás Radão no Alto Minho” em debate no Centro Cultural de Paredes de Coura

O Centro Cultural de Paredes de Coura vai acolher, na quarta-feira, o seminário “Gás Radão no Alto Minho, da investigação à prevenção”.

A iniciativa promovida pelo Instituto Politécnico de Viana do Castelo (IPVC), em parceria com a Agência Regional de Energia e Ambiente do Alto Minho (AREA Alto Minho) e com o apoio da Escola Profissional do Alto Minho Interior (EPRAMI) e do município de Paredes de Coura, decorrerá a partir das 10h00.

Em comunicado, o IPVC explica que o principal objetivo do seminário é apresentar as principais conclusões da implementação do projeto “RnMonitor: Infraestrutura de Monitorização Online e Estratégias de Mitigação Ativa do Gás Radão no Ar Interior em Edifícios Públicos da Região Norte de Portugal” à comunidade em geral e, em particular, à comunidade escolar, partilhando algumas reflexões em torno da temática da presença do gás radão em edifícios graníticos do Alto Minho e da importância da adoção de medidas de mitigação ativas.

O projeto de investigação, que conta com a parceria do Instituto de Telecomunicações (IT), Instituto Politécnico do Cávado e do Ave (IPCA) e da empresa BMViV, sendo apoiado pelo programa COMPETE 2020, visa a “caracterização da concentração de gás radão numa amostra alargada de edifícios públicos nas regiões de Viana do Castelo e Barcelos, bem como o desenvolvimento de um piloto tecnológico no contexto da Internet das Coisas (IoT) que permita efetuar a monitorização online de um conjunto de edifícios públicos previamente selecionados, e desta forma sensibilizar a população e as autoridades locais para a necessidade de adoção de estratégias de mitigação do gás radão em ambientes interiores”.

O radão é um “gás natural radioativo que pode acumular-se em ambientes interiores, como casas, escolas e locais de trabalho”. Encontra-se “nos solos graníticos da região do Alto Minho, assim como na água, e entra nos edifícios através de fissuras no pavimento e dos materiais de construção”.

A exposição prolongada ao gás radão pode “determinar um aumento do risco associado ao cancro do pulmão, motivo pelo qual é fundamental ventilar espaços e renovar o ar interior com critério seguindo procedimentos específicos”.