Obras de um milhão de euros recuperam residência de estudantes em Ponte de Lima

A residência de estudantes da Escola Superior Agrária (ESA), em Ponte de Lima, projetada há 30 anos pelo arquiteto Fernando Távora, vai sofrer obras de reabilitação de um milhão de euros, financiadas por fundos comunitários.

A diretora do estabelecimento de ensino superior, Ana Paula Vale, explicou hoje, em declarações à agência Lusa, que aquele investimento resulta da aprovação de uma candidatura ao POSEUR (Programa Operacional Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos), no valor de 963.690 euros.

Ana Paula Vale disse o investimento “vai permitir renovar a residência dos estudantes da ESA, do Instituto Politécnico de Viana do Castelo (IPVC), no sentido de uma melhor eficiência energética do edifício que conta já com 30 anos de construção e que tem capacidade para acolher 130 alunos”.

“Vai ser substituída toda a parte de caixilharia que se encontra num péssimo estado de conservação. A parte superior do edifício vai ser equipada com painéis fotovoltaicos para melhorar a eficiência energética e o conforto dos estudantes”, especificou.

A diretora da ESA adiantou que o início da intervenção na residência ainda não está definido, prevendo que possa ocorrer no próximo ano, em período de férias.

“O início e a forma como vamos fazer a intervenção tem de ser muito bem programada para não afetar o funcionamento das aulas, e o bem-estar dos alunos”, frisou.

Ana Paula Vale referiu ainda que o apoio comunitário “vai também ser utilizado, entre outras obras, no telhado do mosteiro, com a colocação de placas de isolamento para minimizar as diferenças térmicas no verão e no inverno”.

O financiamento comunitário agora aprovado “visa um conjunto de intervenções e medidas que potenciem a máxima eficiência energética, maior conforto para os utilizadores, potenciação de soluções ‘eco-frendly’ e sustentáveis e, também, a redução da fatura energética na Escola Superior Agrária do IPVC”.

Localizada no concelho de Ponte de Lima, no distrito de Viana do Castelo, esta é a única Escola Superior Agrária inserida no subsistema de ensino superior politécnico da Região Agrária de Entre Douro e Minho. Criada em 1985, a ESA começou a funcionar em 1990. É uma das duas escolas que estão na génese do IPVC e está instalada no antigo mosteiro de Refoios, classificado como imóvel de interesse público.

O mosteiro foi alvo de obras de recuperação e adaptação às novas funções, um projeto do arquiteto Fernando Távora.

A ESA tem atualmente 530 alunos, distribuídos pelas licenciaturas, mestrados e Cursos de Técnicos Superiores Profissionais (CTESP).

“Estamos, praticamente, no nosso limite máximo de capacidade. Na altura em que iniciou funcionamento, a escola foi projetada para receber cerca de 300 alunos”, referiu.

O mosteiro de Santa Maria de Refoios do Lima localiza-se na freguesia de Refoios do Lima, no concelho de Ponte de Lima. Constitui-se em um mosteiro de raiz beneditina, mas que, entretanto, passou à Ordem dos Cónegos Regrantes de Santo Agostinho até 1834 quando se deu a extinção das Ordens Religiosas no país.

Com cerca de cinco mil alunos, o IPVC, que hoje assinala 33 anos, tem seis escolas – Educação, Tecnologia e Gestão, Agrária, Enfermagem, Ciências Empresariais, Desporto e Lazer -, ministrando 28 licenciaturas, 40 mestrados, 34 Cursos de Técnicos Superiores Profissionais (CTESP) e outras formações de caráter profissionalizante.

Além das escolas superiores de saúde, educação e tecnologia e gestão, situadas em Viana do Castelo, o IPVC tem escolas superiores instaladas em Ponte de Lima (Agrária), Valença (Ciências Empresariais) e Melgaço (Desporto e Lazer).

Fonte: Lusa