Altominho.tv

Compras ‘online’ sobem 46% no segundo confinamento geral

As compras ‘online’ aumentaram 46% em Portugal entre 15 de janeiro e 28 de fevereiro, face ao mesmo período homólogo, com o e-commerce a dinamizar o consumo durante este segundo confinamento geral, segundo dados hoje divulgados pela SIBS.

Segundo o SIBS Analytics, que agrega indicadores de consumo, o e-commerce representa atualmente 18% do total de compras eletrónicas, valor que praticamente duplicou em relação ao período pré-pandemia.

O MB Way, segundo os dados, tem sido um dos métodos de pagamento mais utilizados, tendo a sua utilização quase quadruplicado (3,8 vezes) face ao mesmo período de 2020.  

“De notar que este crescimento tem sido contínuo, comprovando que o MB WAY é o serviço de pagamentos móveis preferido de cada vez mais portugueses, consumidores e empresas”, refere.

Já no que se refere ao consumo em loja, acrescenta, “registou-se uma queda de 31% nas compras na rede multibanco neste segundo confinamento face ao mesmo período de 2020, valores ainda assim longe dos verificados de março a maio do ano passado, em que as compras físicas chegaram a cair 47%”.

Em linha com o primeiro confinamento está o consumo nos setores de super e hipermercados, pequena distribuição alimentar, farmácias e parafarmácias, que voltam a ganhar um peso assinalável no total das compras realizadas pelos portugueses em loja, ao representarem neste momento 61% das transações, um registo muito próximo dos 67% do ano passado e um crescimento de 14 pontos percentuais face aos meses de novembro, dezembro de 2020 e primeira quinzena de janeiro de 2021.

 O mesmo se verifica nas compras ‘online’, com os setores do entretenimento, cultura e subscrições, comércio alimentar e retalho, restauração, ‘food delivery’ e ‘take away’ a representarem uma grande fatia das transações neste canal, correspondendo neste momento a 46% do total de compras, perto dos 52% do primeiro confinamento.

Também nas compras em loja, o incremento da utilização do MB WAY tem sido muito significativo, com as transações através deste serviço a crescerem 2,9 vezes no último mês e meio, face ao mesmo período de 2020.

O valor médio das compras registado desde meados de janeiro é de 37,2 euros em loja e de 37,6 euros no ‘online’, com uma variação de -4% e -3%, respetivamente, face ao período anterior ao segundo confinamento, sinaliza.