Altominho.tv
OLHAR VIANA DO CASTELO

Águas do Norte rejeita anomalias que tenham provocado descarga poluente no rio Lima

A empresa Águas do Norte recusou esta quarta-feira “qualquer anomalia” na estação elevatória de Darque, em Viana do Castelo, que tivesse originado no final de outubro uma alegada descarga poluente no rio Lima, como denunciou o Bloco de Esquerda.

“Não se verificou qualquer anomalia no dia 29 de outubro na estação elevatória de Darque”, refere a entidade responsável pela exploração daquela infraestrutura, bem como da Estação de Tratamento de Águas Residuais (ETAR) de Viana do Castelo.

Esta quarta-feira, em resposta escrita a um pedido de esclarecimento da agência Lusa, a empresa informou que, “devido à necessidade urgente de se proceder a intervenções de manutenção nas respetivas infraestruturas de drenagem de águas residuais, nos dias 28 e 30 de outubro se procedeu à interrupção da operação desta estação elevatória, durante um período de tempo limitado”.

“Como é habitual e obrigatório nestas intervenções de manutenção, que são inadiáveis e urgentes, as mesmas foram objeto da devida comunicação à Agência Portuguesa do Ambiente (APA)”, acrescenta.

Na terça-feira, o BE revelou ter questionado o Ministério do Ambiente e da Ação Climática sobre alegadas descargas poluentes “recorrentes” na margem direita do rio Lima, junto à ponte Eiffel, na freguesia de Darque, Viana do Castelo.

Numa pergunta dirigida ao ministro Matos Fernandes, os deputados Maria Manuel Rola e José Maria Cardoso referem que “no dia 29 de outubro ocorreu novamente uma descarga poluente naquele local”.

“Foi possível verificar a existência de uma grande quantidade de partículas e espumas em suspensão, água acastanhada e odores nauseabundos”, sublinham os deputados.
Acrescentam que, com base em testemunhos da população local, “os episódios de poluição são recorrentes, pelo menos desde outubro de 2019”.

Os bloquistas referem que as alegadas descargas poluentes “serão provenientes da estação elevatória de Darque e da Estação de Tratamento de Águas Residuais (ETAR) de Viana do Castelo, que libertam efluentes não tratados para o rio Lima”.

Já a Águas do Norte sublinhou que “as águas tratadas nas estações de tratamento de águas residuais existentes na zona urbana de Viana do Castelo não são descarregadas no rio Lima”.

“Tanto a ETAR de Viana do Castelo-Cidade, que descarrega os seus efluentes tratados na Praia Norte, como a ETAR de Viana do Castelo-Zona Industrial, que descarrega os seus efluentes tratados na Ribeira de Anha, cumprem escrupulosamente os Títulos de Utilização de Recursos Hídricos emitidos pela Agência Portuguesa do Ambiente”, reforça a entidade gestora do sistema multimunicipal de abastecimento de água e saneamento do Norte de Portugal.