Altominho.tv

Funeral de bispo emérito de Viana do Castelo realiza-se na sexta-feira

O funeral do bispo emérito de Viana do Castelo, José Pedreira, que morreu esta quarta-feira aos 85 anos, vítima de doença prolongada, realiza-se na sexta-feira, no cemitério municipal da cidade, depois da cerimónia fúnebre na Sé Catedral.

Em comunicado, a diocese de Viana do Castelo informou que “as exéquias terão lugar na sexta-feira, às 15h00, na Sé Catedral da cidade, sendo que o corpo irá, posteriormente, a sepultar no cemitério municipal” da capital do Alto Minho.

“Num momento em que ainda recordamos de forma viva a partida repentina de D. Anacleto Oliveira, a diocese de Viana do Castelo comunica o falecimento do seu bispo emérito D. José Augusto Martins Fernandes Pedreira, vítima de doença prolongada, ao final da manhã” refere a nota.

José Pedreira, bispo da diocese de Viana do Castelo entre 1997 e 2010, morreu esta quarta-feira de manhã no hospital de Braga onde se encontrava internado.

D. José Augusto Martins Fernandes Pedreira nasceu na freguesia de Gondomil, no concelho de Valença, no dia 10 de abril de 1935. Foi ordenado sacerdote a 12 de julho de 1959. Em 1982 foi nomeado bispo-auxiliar do Porto, com o título de bispo-titular de Elvas.

A ordenação episcopal decorreu a 19 de março de 1983, tendo como principal consagrante Armindo Lopes Coelho, na altura recentemente nomeado bispo de Viana do Castelo, e como consagrantes, Eurico Dias Nogueira, arcebispo de Braga e Júlio Tavares Rebimbas, arcebispo do Porto.

Foi ainda formador no Seminário Maior de Braga, diretor e professor do Colégio do Minho, em Viana do Castelo, e professor da Escola do Magistério Primário, da Escola de Educadoras de Infância e da Escola de Enfermagem de Viana do Castelo (1975-1979).
Entre 1978 e 1983, foi chanceler secretário da Cúria Diocesana e, em 1982, Promotor de Justiça do Tribunal Eclesiástico.

A 29 de Outubro de 1997 foi nomeado bispo de Viana do Castelo, cargo onde se manteve até ao seu pedido de resignação e consequente nomeação de Anacleto Oliveira, que morreu em setembro, aos 74 anos, na sequência do despiste do automóvel que conduzia na Autoestrada do Sul perto de Almodôvar, no distrito de Beja.