Altominho.tv

Autarca de junta socialista de Valença acusa Câmara do PSD de “discriminação negativa”

O autarca da freguesia de São Pedro da Torre (PS) acusou hoje o presidente da Câmara de Valença (PSD) de “discriminação negativa” por não candidatar a fundos comunitários um projeto de requalificação ribeirinha “muito ansiado pela população” local.

“Trata-se de discriminação negativa pelo facto de nós sermos uma Junta de uma cor diferente. Nós somos eleitos pelo PS e o executivo é PSD. Quem sai prejudicada é a comunidade. Por sua vez, há a possibilidade de se perderem fundos comunitários, sem necessidade nenhuma”, afirmou o presidente da Junta de São Pedro da Torre, António Dias.

A Lusa contactou o presidente de Valença, Manuel Lopes, mas sem sucesso.

Em causa, segundo o autarca de São Pedro da Torre, está o projeto de requalificação da zona ribeirinha que prevê a criação de um parque de lazer, orçado em “173.904 euros e com uma comparticipação comunitária de 150 mil euros”.

É um projeto há muito ansiado pela população, que está pronto desde janeiro e, desde há dois meses, com todos os pareceres e licenças necessárias para ser submetido aos fundos do Norte 2020. Já nos disponibilizamos a ceder o projeto à Câmara, que não tem nenhuma proposta para aquela zona, mas sem resultado“, afirmou António Dias.

António Dias adiantou que “o prazo para apresentação de candidaturas aos fundos do Norte 2020 termina no dia 31 de julho e corre-se o risco de se perderem os fundos comunitários”.

Tenho enviado vários emails ao senhor presidente da Câmara para que submeta um projeto da nossa freguesia em nome do município ao abrigo do Programa Operacional Regional do Norte – Norte 2020, por forma a aproveitarmos os fundos comunitários da melhor forma. Propusemos transferir a verba correspondente a 15% que a candidatura obriga de forma a não onerar o município, ou seja, custo zero para a Câmara, mas sem sucesso“, especificou.

António Dias disse lamentar “não estar a ser colocado em primeiro lugar o superior interesse público e os anseios ancestrais da freguesia”.

“O senhor presidente da Câmara de Valença esqueceu-se que, depois de eleitos, devemos trabalhar em prol de toda a comunidade sem este tipo de minudências politiqueiras”, reforçou.